domingo, 2 de dezembro de 2018

Sabayon Linux Plasma KDE

Sabayon Linux Plasma KDE com downgrade para o Kernel 4.4.0

O Sabayon foi instalado em 25 Nov. 2018, mas só foi carregado pela primeira vez em 1º Dez., — quando recebeu as atualizações iniciais e a maior parte das configurações, até 2 Dez, com a instalação de alguns aplicativos. — Depois, foi apenas usado para navegação, no dia a dia, até 7 Dez.

As últimas configurações e a instalação de mais alguns aplicativos foram retomadas de 8 a 12 Dez. 2018.

Índice



  • Entropy
  • Kernel 4.4.0
  • Conky
  • Histórico de comandos
  • Wallpaper


Entropy


Seguindo a cartilha, nos primeiros passos com o Entropy

Tive uma experiência anterior com o Sabayon, — instalado em 4 Mar 2017 e removido em 29 Mai 2017, após um crash do Kwin, — que me deixou com uma péssima impressão do Rigo.

O Rigo se parece muito com um “Discover” (e outras “lojinhas” de aplicativos), — além de notificar e aplicar atualizações, — mas faz perguntas demais, muitas delas incompreensíveis para um iniciante em Sabayon.

A verdade é que até hoje não sei exatamente o que aconteceu, naquela época, — enquanto funcionou, — nem por que aquela instalação do Sabayon acabou quebrando.

E o pior, — acabei sem saber como resolver o problema, — com a falha da interface KDE para rodar o Rigo, e alternar com Chromium, Kate etc., para pesquisar, anotar, experimentar.

Por isso, dessa vez resolvi me entender diretamente com o Entropy.

Os primeiros passos seguiram as recomendações oficiais, — exceto que não alterei nada no arquivo /etc/entropy/client.conf, — por enquanto:

# history
    1  2018-12-09_22-01-13 nano -w /etc/entropy/client.conf
    5  2018-12-01_11-58-47 equo update
    7  2018-12-01_12-00-41 equo install sys-apps/entropy rigo
    8  2018-12-01_12-02-29 equo --version
   10  2018-12-01_12-05-02 equo upgrade --ask
   11  2018-12-01_12-12-25 equo conf update

Comandos de busca e instalação do Chromium pelo Entropy

Daí por diante, foram usados pares de comandos para localizar pacotes, — e em seguida instalar (ou remover):

  # equo search chromium
  # equo install www-client/chromium-68.0.3440.75 --ask
  # equo search conky
  # equo install app-admin/conky-1.10.8-r3
  # equo search kate
  # equo install kde-apps/kate-18.08.3
  # equo search midnight-command
  # equo search mc
  # equo install app-misc/mc-4.8.21
  # equo search gimp
  # equo install media-gfx/gimp-2.10.6-r1
  # equo install media-plugins/gimp-resynthesizer-2.0.3-r1

Na maioria dos casos, não é necessário incluir a versão do pacote a instalar ou remover, — mas é trabalhoso copiar só o nome, — ao passo que duplo-clique seleciona o conjunto inteiro.

Localização dos pacotes instalados, em /var/db/pkg

No caso do Chromium, talvez fosse mais seguro incluir pelo menos o caminho (path), para evitar confusão com o jogo do mesmo nome (se é que isso bastaria), — porém mais tarde houve casos em que nem isso pareceu necessário, — e o pacote encontrou seu caminho sem ajuda:

  # equo search gnome-screenshot
  # equo install gnome-screenshot

Rigo — e seu parceiro “rigo-daemon” — no Sabayon

Infelizmente, ao seguir as orientações oficiais, foi instalado o Rigo, — e com ele o “rigo-daemon”, que passou a rodar automaticamente, no início de cada sessão do Sabayon, — coisa que, após várias pesquisas, ainda não descobri como evitar.

Registro centralizado dos históricos de pacotes, — acessível a partir de qualquer distro Linux instalada

Já faz algum tempo que adquiri o hábito de desabilitar esse tipo de coisa, — prefiro rodar um comando (manualmente) para verificar as atualizações, depois copiar e manter registros em TXT, — facilmente acessíveis a partir de qualquer distro, caso precise verificar alguma coisa rapidamente.

Remoção do “rigo-daemon”, — e com ele, o “magneto”

Talvez bastasse remover o “magneto” (não verifiquei), — mas como não tinha interesse no Rigo, optei por remover o “rigo-daemon”, — e com ele, a tralha toda.

  # equo search magneto
  # equo search rigo
  # equo remove sys-apps/rigo-daemon-319

Posso estar enganado, mas a impressão é de que o Entropy faz menos perguntas do que o Rigo, — e elas parecem fazer mais sentido. — De qualquer modo, logo abandonei o uso do parâmetro “--ask”, para agilizar as coisas.

Kernel 4.4.0


Destaque de Kernels disponíveis, logo ao abrir o Rigo

Embora não tenha usado o Rigo para atualizar / instalar / remover pacotes, devo a ele o destaque com que apresentou, — de imediato, — a possibilidade de escolher um Kernel diferente do padrão.

Esse é um recurso interessante, — também oferecido pelo Manjaro (ainda não descobri no Arch) e, de modo limitado, pelo Linux Mint, — dispensando malabarismos como os que experimentei no Kubuntu 18.04 e no Kubuntu 19.04.

Kernels disponíveis para o Sabayon, segundo o Rigo

Por motivo que escapam à compreensão de um iniciante em Sabayon, os Kernels oferecidos em uma das seções do Rigo são os mesmos Kernels LTS oferecidos na outra, — a menos, talvez, que você ative outros repositórios, além do padrão original.

Gerenciamento de repositórios do Sabayon pelo Rigo

Nesse ponto ainda inicial de aprendizado, preferi não mexer com isso, por enquanto.

Excesso de opções encontrados pelo comando # equo search kernel

Pelo comando # equo search kernel, localiza-se um batalhão de pacotes, cujo significado nem sempre é óbvio para um iniciante.

Comando # equo search linux-sabayon exibe as opções de Kernel que de fato interessavam

Só mais tarde me dei conta de que o comando # equo search linux-sabayon — facilmente deduzível pelo Rigo — seria o mais adequado para exibir as opções de Kernel que de fato interessavam.

Instalação do Kernel 4.4.0 no Sabayon

A instalação do Kernel 4.4.0 foi feita por comando, copiando a versão exata:

# equo install sys-kernel/linux-sabayon-4.4.162 --ask

Orientações nas saídas do comando de instalação do Kernel linux-sabayon-4.4.0

Entre as 100 linhas de saída do comando de instalação do Kernel 4.4.0 (copiadas em TXT), existem indicações importantes, — como o comando eselect bzimage e um link de suporte:

# equo install sys-kernel/linux-sabayon-4.4.162 --ask
...
 * You are currently booting with kernel:
 * kernel-genkernel-x86_64-4.18.0-sabayon
 * 
 * Use 'eselect bzimage' in order to switch between the available ones

 * If you are upgrading from a previous kernel, you may be interested
 * in the following document:
 *   - General upgrade guide: https://wiki.gentoo.org/wiki/Kernel/Upgrade
...
╠  @@ Installation complete.
╠  @@ No configuration files to update.

Na verdade, a Wiki do Gentoo não foi muito esclarecedora, para quem ainda está no ABC, e acabei seguindo as orientações da seção Using Kernel Switcher na página Entropy da Wiki do Sabayon, — além da página HOWTO: Upgrade kernel using Entropy, também da Wiki do Sabayon.

Mesmo assim, ainda estou a anos-luz de me sentir seguro sobre o que fiz, — e sobre o que talvez ainda falte fazer.

Sabayon carregado com Kernel 4.4.0 (Conky), — mas o Kernel padrão ainda selecionado

2018-12-02_14:10 - Após selecionar o Kernel 4.4.0 nas Opções avançadas do Grub, — o Sabayon carregou meio duvidoso: — Conky e KInfocenter indicavam “4.4.0”, — mas o comando eselect bzimage apontava “4.18.0”.

O comando kernel-switcher switch instalou 3 pacotes e, entre as 200 linhas de saída, tornou a insistir no eselect:

2018-12-02 15:02:31

# kernel-switcher switch linux-sabayon-4.4.162
╠ Resolving virtual kernel package: virtual/linux-binary
╠  @@ Calculating dependencies...
╠  ## [N] [sabayonlinux.org] sys-power/bbswitch-0.8-r1#4.4.0-sabayon#4.4.0-sabayon|26
╠  ## [N] [sabayonlinux.org] sys-fs/zfs-kmod-0.7.11#4.4.0-sabayon#4.4.0-sabayon|3
╠  ## [N] [sabayonlinux.org] app-emulation/virtualbox-guest-additions-5.2.22#4.4.0-sabayon#4.4.0-sabayon|0
╠  ## [R] [sabayonlinux.org] sys-kernel/linux-sabayon-4.4.162|0   [4.4.162|0]
╠  @@ Packages needing to be installed/updated/downgraded: 4
╠  @@ Packages needing to be removed: 0
.......
 * You are currently booting with kernel:
 * kernel-genkernel-x86_64-4.18.0-sabayon
 * 
 * Use 'eselect bzimage' in order to switch between the available ones
........

Foi o passo seguinte:

# eselect bzimage list
Available kernel targets:
  [1]   kernel-genkernel-x86_64-4.18.0-sabayon *
  [2]   kernel-genkernel-x86_64-4.4.0-sabayon
  
# eselect bzimage set 2
Setting bzImage to kernel-genkernel-x86_64-4.4.0-sabayon
Setting Initrd to initramfs-genkernel-x86_64-4.4.0-sabayon

Os 2 testes seguintes parecem satisfatórios, — mas deixaram assunto para pesquisa:

# equo deptest
╠  @@ Running dependency test...
╠  @@ These are the dependencies not found:
╠    # >=sys-apps/sysvinit-2.86-r6
╠       # Needed by:
╠       # sys-apps/openrc-0.38.3
╠  @@ Installing available packages in 10 seconds ...
☢ No package_matches found.
 
# equo libtest
╠  @@ Libraries test
╠  @@ discarding directory: /usr/lib64, because it's symlinked on: /usr/lib
╠  @@ discarding directory: /lib64, because it's symlinked on: /lib
╠  @@ Collecting broken executables
╠  @@ Attention: don't worry about libraries that are shown here but not later.
........
╠  @@ Matching broken libraries/executables
╠  @@ System is healthy.

15:40 - Antes de reiniciar o computador, foi atualizado o Grub.

Sabayon finalmente carregado com Kernel 4.4.0, — sem sombra de dúvida

16:36 - Reiniciada a máquina, o Sabayon finalmente carregou com o Kernel 4.4.0, — sem margem para dúvidas, — e o primeiro sintoma foi o aspecto “antigo”, adquirido pelas notificações, no canto superior direito da tela.

Alguns comandos confirmaram as mudanças em vigor.

Depois disso, o Sabayon foi apenas usado, — para navegação e outras atividades do dia-a-dia, — por quase uma semana, até 8 Dez. 2018.

Um extrato do histórico de comandos, — bastante expurgado, — indica a cronologia dessa mudança de Kernel:

  2018-12-02

  11:43 # equo search kernel
  11:47 # equo install sys-kernel/linux-sabayon-4.4.162 --ask
  14:22 # eselect bzimage list --quiet
  14:23 # eselect bzimage show --quiet
  14:29 # ls -l /usr/src
  14:39 # uname -a
  14:45 # equo query installed "drivers"
  14:49 # equo search linux-sabayon
  14:57 # kernel-switcher switch linux-sabayon-4.4.162
  15:05 # eselect opengl list
  15:06 # eselect opengl set 2
  15:08 # eselect bzimage list
  15:08 # eselect bzimage set 2
  15:09 # equo deptest
  15:10 # equo libtest
  15:38 # gcc-config -l
  15:40 # date && grub2-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg && date
  15:46 # uname -a
  15:46 # uname -r
  16:49 # eselect kernel list
  16:50 # eselect opengl list
  16:50 # eselect bzimage show --quiet
  16:52 # ls -l /usr/src

  • Ver “Histórico de comandos” (adiante).

Até esse ponto, o arquivo “Notes.txt”, — com as saídas dos comandos, — já acumulava 2.600 linhas, para exame posterior, quando pesquisar (e aprender) mais sobre tudo isso.

Até aí, foram feitas cerca de 400 Capturas de tela, — na verdade, abrangendo muitas outras coisas, — e mesmo assim ficaram várias lacunas quanto a essa mudança de Kernel.

O Kernel padrão (4.18.0) permanece instalado, — até ter segurança de que a mudança esteja de fato completa, e ele possa ser removido sem perigo.

Conky


Original e alterações da primeira parte do arquivo ~/.conkyrc

Pela primeira vez, desde o Conky 1.10, me vi compelido a adotar a nova sintaxe e o novo modelo de arquivo de configuração, dividido em 2 partes:

conky.config = {
    .... .... .... ....
}

conky.text = [[
    .... .... .... ....
]]

Como a instalação do Conky não trouxe um modelo, — com a nova sintaxe cheia de vírgulas, espaços etc., — procurei na web, cheguei à página User configs, abri a configuração de Séverin Dupouy e copiei a primeira parte, — que contém as configurações.

Após alguns testes, foi aprovado com algumas modificações, — inclusive a eliminação de duas linhas (color1, color3) desnecessárias:

conky.config = {
 use_xft= true,
 xftalpha= .9,
 update_interval= 1,
 total_run_times= 0,

 background= true,

 own_window= true,
 own_window_type= 'normal',
 own_window_transparent= true,
 own_window_hints= 'undecorated,below,sticky,skip_taskbar,skip_pager',
 own_window_colour= '000000',
 own_window_argb_visual= true,
 own_window_argb_value= 0,

 double_buffer= true,

 minimum_width= 250,
 maximum_width= 250,

 minimum_height= 10,

 draw_shades= true,
 draw_outline= false,
 draw_borders= false,
 draw_graph_borders= true,
 
 default_color= 'white',
 default_shade_color= 'black',
 default_outline_color= 'white',

 alignment= 'top_left',
 gap_x= 10,
 gap_y= 10,
 no_buffers= true,
 text_buffer_size = 2048,
 uppercase= false,
 cpu_avg_samples= 1,
 net_avg_samples = 1,
 override_utf8_locale= true,

 font= 'verdana:pixelsize=10'
}

Original e alterações da segunda parte do arquivo ~/.conkyrc

Para a segunda parte, — que contém os textos e gráficos a serem exibidos, com poucas configurações locais, — foi aproveitado o arquivo ~/.conkyrc de uma distro anteriormente instalada nas mesmas partições (Linux10), — de modo que bastasse uma busca-e-troca global para adaptar os caminhos (path) para as demais partições do computador.

Tecnicamente, só foi preciso alterar a rede, — de “eth0” para ”enp1s0”, — e por fim, ajustar os títulos do alto, para enquadrar o espaçamento vertical no espaço disponível.

Histórico de comandos


Uma vez que o Rigo não chegou a ser usado, — exceto para examinar seus recursos, — o histórico dos comandos é o melhor registro dos pacotes instalados e removidos nos primeiros 9 dias do Sabayon instalado, até 2018-12-09 às 22:02:

# history

  2018-12-01 +/- 11:58

  # nano -w /etc/entropy/client.conf
  # echo 'export HISTTIMEFORMAT="%F - %H-%M-%S "' >> ~/.bashrc
  # equo update
...

# history | grep "equo install"
  
  2018-12-01
  
  12:00 # sys-apps/entropy rigo
  12:19 # www-client/chromium-68.0.3440.75 --ask
  12:26 # app-admin/conky-1.10.8-r3
  13:51 # kde-apps/kate-18.08.3
  16:17 # app-misc/mc-4.8.21
  
  2018-12-02
  
  08:58 # media-gfx/gimp-2.10.6-r1
  09:04 # media-plugins/gimp-resynthesizer-2.0.3-r1
  09:10 # kde-apps/kdegraphics-mobipocket-18.08.3
  09:13 # kde-apps/marble-18.08.3
  09:19 # app-office/calligra-3.1.0-r2
  11:47 # sys-kernel/linux-sabayon-4.4.162 --ask
  
  2018-12-08
  
  16:53 # kde-misc/krename-5.0.0
  21:34 # gnome-screenshot

# history | grep "equo remove"

  2018-12-08
  
  20:36 # kde-apps/libkdegames-18.08.3
  
  2018-12-09
  
  09:08 # sys-apps/rigo-daemon-319

Histórico completo, exceto “clear” etc.:

# history
    1  2018-12-09_22-01-13 nano -w /etc/entropy/client.conf
    2  2018-12-09_22-01-13 echo 'export HISTTIMEFORMAT="%F_%H-%M-%S "' >> ~/.bashrc
    5  2018-12-01_11-58-47 equo update
    7  2018-12-01_12-00-41 equo install sys-apps/entropy rigo
    8  2018-12-01_12-02-29 equo --version
   10  2018-12-01_12-05-02 equo upgrade --ask
   11  2018-12-01_12-12-25 equo conf update
   13  2018-12-01_12-16-47 equo search chromium
   14  2018-12-01_12-19-23 equo install www-client/chromium-68.0.3440.75 --ask
   16  2018-12-01_12-25-26 equo search conky
   17  2018-12-01_12-26-26 equo install app-admin/conky-1.10.8-r3
   18  2018-12-01_12-42-04 nano /etc/udev/rules.d/99-udisks2.rules
   19  2018-12-01_12-45-00 cat /etc/udev/rules.d/99-udisks2.rules
   21  2018-12-01_12-46-31 cat /etc/polkit-1/rules.d/99-udisks2.rules
   22  2018-12-01_12-46-39 nano /etc/polkit-1/rules.d/99-udisks2.rules
   23  2018-12-01_12-48-00 cat /etc/polkit-1/rules.d/99-udisks2.rules
   24  2018-12-01_13-50-28 equo search kate
   25  2018-12-01_13-51-11 equo install kde-apps/kate-18.08.3
   26  2018-12-01_16-15-46 equo search midnight-command
   27  2018-12-01_16-15-59 equo search mc
   28  2018-12-01_16-17-57 equo install app-misc/mc-4.8.21
   30  2018-12-01_16-19-45 mc
   31  2018-12-01_16-20-44 mc
   32  2018-12-01_16-24-56 blkid
   34  2018-12-01_16-26-42 mc
   35  2018-12-01_16-28-03 swapoff -a
   36  2018-12-01_16-28-11 swapon -a
   38  2018-12-01_17-06-46 equo search packagekit
   40  2018-12-01_17-08-52 date && grub2-mkconfig -o /boot/grub2/grub.cfg && date
   41  2018-12-01_17-09-53 mc
   42  2018-12-01_17-21-16 date && grub2-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg && date
   48  2018-12-01_17-36-19 equo conf update
   49  2018-12-01_17-42-19 equo conf update
   50  2018-12-02_08-58-02 equo search gimp
   51  2018-12-02_08-58-56 equo install media-gfx/gimp-2.10.6-r1
   52  2018-12-02_09-04-11 equo install media-plugins/gimp-resynthesizer-2.0.3-r1
   54  2018-12-02_09-06-29 equo update
   55  2018-12-02_09-07-14 equo upgrade --ask
   59  2018-12-02_09-09-37 equo search epub
   60  2018-12-02_09-10-01 equo search mobipocket
   61  2018-12-02_09-10-27 equo install kde-apps/kdegraphics-mobipocket-18.08.3
   63  2018-12-02_09-12-58 equo search marble
   64  2018-12-02_09-13-22 equo install kde-apps/marble-18.08.3
   66  2018-12-02_09-18-48 equo search calligra
   67  2018-12-02_09-19-04 equo install app-office/calligra-3.1.0-r2
   69  2018-12-02_09-29-40 equo search wine
   71  2018-12-02_09-32-27 equo search cbr
   73  2018-12-02_09-36-41 screenfetch
   74  2018-12-02_09-36-44 htop
   75  2018-12-02_09-37-32 htop
   78  2018-12-02_11-43-06 equo search kernel
   80  2018-12-02_11-47-54 equo install sys-kernel/linux-sabayon-4.4.162 --ask
   81  2018-12-02_14-19-15 date && grub2-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg && date
   83  2018-12-02_14-20-40 eselect bzimage
   84  2018-12-02_14-21-09 eselect bzimage list
   85  2018-12-02_14-21-23 eselect bzimage quiet
   86  2018-12-02_14-21-34 eselect bzimage --quiet
   87  2018-12-02_14-21-48 eselect bzimage --silent
   88  2018-12-02_14-22-16 eselect bzimage show
   89  2018-12-02_14-22-42 eselect bzimage list --quiet
   90  2018-12-02_14-23-08 eselect bzimage show --quiet
   92  2018-12-02_14-29-46 ls -l /usr/src
   93  2018-12-02_14-39-59 uname -a
   94  2018-12-02_14-45-04 equo query installed "drivers"
   96  2018-12-02_14-49-23 equo search linux-sabayon
   99  2018-12-02_14-56-33 kernel-switcher switch linux-sabayon-4.4.0
  100  2018-12-02_14-57-26 kernel-switcher switch linux-sabayon-4.4.162
  102  2018-12-02_15-05-41 eselect opengl list
  103  2018-12-02_15-06-59 eselect opengl set 2
  104  2018-12-02_15-07-28 eselect kernel list
  105  2018-12-02_15-08-09 eselect bzimage list
  106  2018-12-02_15-08-45 eselect bzimage set 2
  107  2018-12-02_15-09-13 equo deptest
  108  2018-12-02_15-10-09 equo libtest
  110  2018-12-02_15-35-01 equo search sysvinit
  112  2018-12-02_15-38-24 eselect kernel list
  113  2018-12-02_15-38-51 gcc-config -l
  114  2018-12-02_15-39-35 eselect opengl list
  115  2018-12-02_15-40-22 date && grub2-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg && date
  117  2018-12-02_15-46-06 uname -a
  118  2018-12-02_15-46-11 uname -r
  121  2018-12-02_16-49-53 eselect kernel list
  122  2018-12-02_16-50-09 eselect opengl list
  123  2018-12-02_16-50-44 eselect bzimage show --quiet
  124  2018-12-02_16-52-04 ls -l /usr/src
  125  2018-12-08_10-27-07 equo update
  126  2018-12-08_10-28-13 equo upgrade --ask
  127  2018-12-08_11-34-50 equo conf update
  128  2018-12-08_16-52-41 equo search rename
  129  2018-12-08_16-53-18 equo install kde-misc/krename-5.0.0
  130  2018-12-08_20-35-32 equo search kdegames
  131  2018-12-08_20-36-01 equo remove kde-apps/libkdegames-18.08.3
  132  2018-12-09_07-08-01 equo search rigo
  133  2018-12-09_07-08-54 equo remove sys-apps/rigo-daemon-319 --ask
  135  2018-12-09_07-12-17 equo search packagekit
  138  2018-12-09_07-35-38 crontab -l
  139  2018-12-09_08-15-30 equo search sulfur
  140  2018-12-09_08-17-47 equo search magneto
  142  2018-12-09_09-07-58 equo search rigo
  144  2018-12-09_09-08-27 equo remove sys-apps/rigo-daemon-319
  147  2018-12-09_21-32-39 equo upgrade --ask
  148  2018-12-09_21-34-23 equo search gnome-screenshot
  150  2018-12-09_21-34-45 equo install gnome-screenshot

$ history
    1  2018-12-09_22-01-06 su
    2  2018-12-09_22-01-06 echo 'export HISTTIMEFORMAT="%F_%H-%M-%S "' >> ~/.bashrc
    8  2018-12-01_12-41-46 mc
   11  2018-12-01_13-38-54 conky &
   15  2018-12-01_13-56-52 locate conky
   16  2018-12-01_13-56-55 find conky
   17  2018-12-01_13-57-00 whereis conky
   18  2018-12-01_13-59-34 conky
   19  2018-12-01_13-59-45 conky &
   20  2018-12-01_14-00-11 conky &
   21  2018-12-01_14-00-29 man conky
   22  2018-12-01_14-06-59 whereis conky
   23  2018-12-01_14-08-25 conky -v
   24  2018-12-01_14-14-19 killall conky
   25  2018-12-01_14-14-26 conky &
   26  2018-12-01_14-38-26 killall conky
   27  2018-12-01_14-38-29 conky &
   28  2018-12-01_14-38-48 killall conky
   29  2018-12-01_14-38-50 conky &
   30  2018-12-01_14-39-06 killall conky
   31  2018-12-01_14-39-08 conky &
   32  2018-12-01_15-01-12 killall conky
   33  2018-12-01_14-48-15 killall conky
   34  2018-12-01_14-48-18 conky &
   35  2018-12-01_14-49-20 conky &
   36  2018-12-01_14-57-29 conky &
   37  2018-12-01_15-00-33 conky &
   38  2018-12-01_15-01-31 killall conky
   39  2018-12-01_15-11-02 conky &
   40  2018-12-01_15-24-18 sudo watch sensors
   45  2018-12-01_17-02-26 conky &
   54  2018-12-02_10-43-16  cd /home/flavio
   56  2018-12-02_10-43-19 ls -n
   59  2018-12-02_10-48-06  cd /run/media/flavio/XTudo/Byteria/Comparativo
   60  2018-12-02_10-48-13 ls -n
   69  2018-12-09_07-36-03 crontab -l
   70  2018-12-09_07-36-38 whereis crontab
   71  2018-12-09_07-39-13 whereis rigo
   72  2018-12-09_07-50-14 ls /etc/init.d/

xxx

— … ≠ • ≠ … —

Não-debians


segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Kubuntu 19.04 “Disco Dingo” (daily-build)

Kubuntu 19.04 “Disco Dingo” (daily-build) instalado e atualizado

Imagens ISO “diárias” (daily-builds) da versão seguinte do *buntu começam a ser feitas poucos dias ou semanas após o lançamento mais recente, — e de início se parecem muito com ele. — Mas logo começam a se distanciar, como se fossem de uma “rolling” distro, evoluindo a olhos vistos, até as vésperas do lançamento final.

Kubuntu 19.04 em sessão Live da “daily-build” de 23 Nov 2018

Na sessão Live, a imagem ISO do dia 23 Novembro se apresentava com KDE 5.13.5, Frameworks 5.50 e Qt 5.11.1.

Estado das distros instaladas e resultados já obtidos em cada uma, em 28 Nov 2018

Apenas 5 dias depois de instalado, já apresentava KDE 5.14.4, Frameworks 5.52 e Qt 5.11.2, — os mesmos do Arch Linux e do PCLinuxOS.

Índice


  • Instalação mínima
  • Configuração
  • De volta ao Kernel 4.4
  • Observações
  • Wallpaper

Instalação mínima


Verificação sha256sum da imagem ISO do Kubuntu 19.04 daily-build

Essas imagens ISO diárias do próximo Kubuntu 19.04 podem ser baixadas do site oficial. — Sua integridade foi testada pelo sha256sum e a seguir foi “queimada” em DVD, para guardar sem ocupar um Pendrive.

Inglês + Teclado ABNT2 para contornar crash do Instalador do Kubuntu 19.04

Nas primeiras tentativas, o Instalador quebrou 2 ou 3 vezes, com as opções de Idioma: Português do Brasil + Teclado: Português do Brasil, — mas funcionou bem com Language: English + Keyboard: Portuguese (Brazil).

O motivo pode ter sido alheio à distro, — mas esse tipo de problema já ocorreu há 2 anos, — e uma das indicações, naquela época, apontava a seleção de outro idioma (non-English) como possível causa.

Contornado esse problema, a fase manual (interativa) da instalação começou às 20:53 e se estendeu até 21: 29, sem muita pressa:

  Time   Diff   Event
  
  20:53         Installer - Lang English
  20:53         Keyboard - pt_BR
  20:53         Software
  21:22    28’  Disk setup
  21:28     5’  Partitioning - Summary
  21:29         TimeZone (creating ext4 root partition)
  21:29         User info (creating ext4 home partition)
  21:30         Slideshow (copying files: 17%)
  21:43    13’  Configuring hardware (dpkg-reconfigure)
  21:45     1’  Slideshow (grub-mount, os-prober)
  22:04    18’  Finished
  
  01:10  1h10m  Total (Diff, Sum)

A demora de 28 minutos entre as opções de Software e a apresentação das opções de Particionamento (Disk setup) deve-se à existência de 41 partições, com 11 distros a serem detectadas (scanning devices), — ou talvez à existência de alguma partição problemática.

É um caso bastante específico de hardware & multiboot. — Demoras semelhantes têm se registrado em outras instalações, como as do Kubuntu 18.04 Bionic Beaver e do Manjaro 17, por exemplo; e falha total de Grub2 ao instalar o PCLinuxOS.

Os 5 minutos das opções manuais de Particionamento devem-se, em grande parte, à necessidade de des-selecionar 11 partições Swap, — para não serem automaticamente utilizadas pelo Kubuntu 19.04.

Instalação mínima do Kubuntu 19.04 (daily build), com atualizações e software de terceiros

Na etapa de “Software”, foi escolhida a Instalação mínima (Minimal installation), — sem KDE PIM, — bem como as opções de baixar atualizações durante a instalação; e de instalar software de terceiros.

Sumário do particionamento manual para instalação do Kubuntu 19.04

Escolhido Particionamento manual, — foram des-selecionadas 11 das 12 partições Swap existentes, — e selecionadas as partições raiz e /home (formatar ambas).

Foi dada especial atenção à escolha do “disco” SSD externo sdd para instalar o carregador de partida (Boot loader), — uma vez que não existe opção de não instalá-lo, — para preservar o Menu de inicialização da máquina, cujo carregador está no sda.

Fica claro que se trata de particionamentos MBR, — e sem partições /boot separadas.

Localização de “Linux11”, de “Home11” e de “Swap11” no particionamento dos discos

As partições escolhidas formam o “Slot 11”, — uma partição-raiz, uma partição /home e uma partição Swap, — para evitar interferências mútuas entre as distros instaladas, ou a serem instaladas no futuro.

Os instaladores de algumas distros alteram o identificador UUID da partição Swap. — Se ela fosse compartilhada, isto com frequência exigiria correção manual do /etc/fstab das distros instaladas antes. — Em várias distros, também seria necessário redefinir resume=UUID no arquivo /etc/default/grub (seguido de update-grub).

Fase final da instalação, com demoras de grub-mount e de os-prober

Devido às outras 11 distros instaladas, era esperada uma demora extra de 15 a 30 minutos na fase final da instalação, — geração do Grub, — por isso, o processo foi deixado a correr sozinho daí por diante.

No entanto, nem foi tão demorado. — Acabou às 22:04, como foi constatado depois.

Arquivos do /var/log/ copiados antes de rodar o Kubuntu 19.04 instalado

O arquivo /var/log/apt/history.log indica o início e o fim da instalação de pacotes em uma faixa de 21 minutos:

  Start-Date: 2018-11-23  21:43:15
  End-Date:   2018-11-23  22:04:05

Observa-se que 22:04 também é a hora final do Log do Instalador.

Atualização do Grub pelo Mageia, para inclusão do Kubuntu 19.04 “Disco Dingo”

No dia seguinte, foi atualizado o Menu de inicialização da máquina, — pelo Grub do Mageia, — para detectar e incluir o Kubuntu 19.04 “Disco Dingo” (daily build).

Desabilitando os-prober do Kubuntu 19.04

Ainda no Mageia, foi editado o /etc/default/grub do Kubuntu 19.04, para desabilitar os-prober.

Não faz sentido que todas as distros percam tempo detectando as demais, — a cada vez que recebem uma atualização do Grub ou do Tema do Grub. — Basta que cada distro mantenha atualizadas suas próprias entradas de Menu (ao atualizar o Kernel), para serem lidas pelo Grub do Mageia.

Kubuntu 19.04 no Menu de inicialização gerenciado pelo Mageia

Por fim, foi carregado o Kubuntu 19.04 instalado, — para testar se estava tudo bem, e iniciar as configurações.

Configuração


Desativação das “unattended-upgrades” no Kubuntu 19.04 instalado

A primeira providência foi desativar as atualizações silenciosas, invisíveis, de unattended-upgrades, — TAB para passar de Yes para No, — e Enter:

  sudo dpkg-reconfigure unattended-upgrades

Em seguida, atualizar as informações dos repositórios, — e instalar o Synaptic:

  sudo apt-get update
  sudo apt install synaptic

E datar os comandos, — coisa que deveria ser a primeira de todas:

  echo 'export HISTTIMEFORMAT="%F_%H-%M-%S "' >> ~/.bashrc
  source ~/.bash_profile

Informações do Synaptic no início da primeira sessão do Kubuntu instalado

A prática adotada é rodar o comando apt update no início do dia, — mas usar o Synaptic para atualizar, instalar, remover pacotes, — e aproveitar seu Histórico, que pode ser pesquisado, copiado, reaproveitado com muito mais facilidade do que arquivos de Log na partição-raiz.

Logo no primeiro momento, o Synaptic indicava 1.901 pacotes instalados (inclusive ele mesmo + 7 dependências); 118 pacotes Auto-removíveis; 9 pacotes Obsoletos; e 85 pacotes Recomendados: faltando.

Naturalmente, é preciso dar um desconto. — Jogo de Paciência, por exemplo, nem sempre é recomendável, — e é bastante discutível, o apt / Synaptic dizer que faz falta.

No primeiro momento, o Synaptic foi usado apenas para fazer as atualizações já detectadas, — 166 pacotes, além de 10 novos a serem instalados e 1 a remover. — Só uma hora mais tarde começaram a ser manualmente instalados outros pacotes.

Registros principais do Histórico do Synaptic, — desde o primeiro momento:

  Nov 24
 
  07:43:06 - Atualização inicial (166 packages +10 -1)
  08:52:29 - conky-all
  08:57:48 - lm-sensors
  08:59:55 - ttf-mscorefonts-installer
  09:06:45 - chromium-browser
  09:49:57 - gnome-screenshot
  09:59:43 - krename
  10:17:45 - kdegraphics-mobipocket
  10:29:51 - marble
  10:34:50 - calligrawords, calligrasheets
  10:39:28 - gimp (2.10.8-1)
  10:47:43 - xsane
  11:13:30 - kamera
  12:54:45 - libreoffice
  13:04:40 - completely remove: Obsolete (-8)
  13:06:28 - completely remove: Auto Removable (-62)
  13:48:36 - remove: PackageKit, Plasma Discover
  14:12:25 - QApt - missing Lang packs
  16:00:46 - gparted
   
  Nov 25 20:30:28 2018 - Frameworks 5.52 (I)
  Nov 26 12:32:49 2018 - Frameworks 5.52 (II)
  Nov 27 10:22:42 2018 - Frameworks 5.52 (III)
   
  Nov 27 10:26:50 2018 - screenruler

  Nov 28 15:30:12 2018 - KDE 5.14.4 (I)
  Nov 29 10:10:46 2018 - KDE 5.14.4 (II)

  Nov 29 10:51:12 2018 - midnight-commander (mc)
  Nov 29 10:52:08 2018 - htop
  Nov 29 10:52:53 2018 - screenfetch

Fica claro que quase a metade dos pacotes “Auto-removíveis” deixaram de sê-lo, — talvez, porque não devessem fazer parte da “Instalação mínima”, — mas se tornaram úteis após a instalação do Marble, Calligra, Kamera, LibreOffice etc.

Habilitando a montagem automática de partições dos HDDs internos

Porém, antes de começar a instalar e remover pacotes de software, foram feitas várias configurações do KDE, — por questões de hábito e gosto pessoal:

  07:50 - System settings - configure - Icons mode
  07:51 - Workspace behavior - Single click
  07:51 - Active screen Corners & Edges - disable
  07:52 - Screen locking - disable
  07:52 - Keyboard - Turn on NumLock on KDE startup
  07:53 - Keyboard - Third level - Left-Win
  07:53 - Compositor (OpenGL 2.0) > XRender
  07:54 - Removable storage media - Automount (HDDs)
  07:56 - KDE Wallet - disable
  07:57 - Clock appearance - show Date
  07:58 - Numeric, currency and time formats - pt_BR
  07:58 - File search - disable
  07:59 - Restore manually saved session
  08:00 - PrtScn shortcuts (Spectacle)
  08:02 - Color scheme Breeze - DON'T apply to non-Qt applications
  08:05 - Restart - Automount - Ok

Antigamente, o clique-único era configurável na seção do Mouse, — mas em tempos recentes foi levado para a seção de Comportamento da área de trabalho, pois na verdade também diz respeito a Touchpads e Touchscreens.

Mesmo com o Teclado configurado para ABNT2 (pt_BR), ainda é necessário definir manualmente o acesso ao Terceiro nível, — coisas como « m³ km² © € £ ½ ¼ » etc., — e habilitar NumLock.

Todas as distros instaladas com KDE nesse hardware, há vários anos, automaticamente se configuram para usar Compositor OpenGL 2.0, — mas isso deixa a tela meio “nervosa”, — e várias vezes impediu a transparência do Conky.

A montagem automática de partições pelo KDE tem funcionado sem problemas no Kubuntu (e no KDE Neon, no Mint KDE), sem necessidade de mexer com autorizações. — Todas as partições habilitadas ficam automaticamente disponíveis para leitura e gravação, — desde que suas pastas e arquivos “pertençam” ao mesmo usuário / grupo 1000:1000 (e com senha, arquivos de sistema das demais distros).

Configuração de formatos Numéricos, monetários e de data / hora (pt_BR)

Embora possa conviver muito bem com todos os menus e aplicativos em inglês, — o que até ajuda a comunicação em foruns internacionais, — não há como abrir mão dos formatos brasileiros de data, hora, moeda, separadores decimais etc.

Infelizmente, isso parece ter acionado a tradução em português dos menus de vários aplicativos, — além de disparar sucessivas reclamações de que os pacotes de suporte a Idioma estavam incompletos (adiante). — Aparentemente, os principais aplicativos do KDE reagem automaticamente à escolha dos “formatos” regionais.

A chamada Pesquisa de arquivos (Filesearch) já consumiu muita RAM e CPU, durante anos, — até descobrir que não faz nenhuma falta, para Buscas simples (Dolphin) ou avançadas (KFind). — Desde então, sempre desabilito essa indexação.

Por padrão, o KDE do Kubuntu veio configurado para “Restaurar a sessão anterior”, — e se você esquece de fechar o Dolphin minimizado (ou outro aplicativo KDE), ele reaparece ao iniciar a próxima sessão, tal como estava antes, o que é muito prático, para retomar o trabalho do ponto onde parou na véspera. — Ao optar por “Restaurar sessão salva manualmente”, o menu de saída passa a exibir a opção de “Salvar sessão”, e com isso você pode estabelecer uma sessão padrão, invariável (para monitorar o uso inicial de Memória RAM, por exemplo).

Nesse ponto foram apenas invertidas as teclas de atalho — PrtScn para capturar e salvar silenciosamente; Shift-PrtScn para abrir o diálogo do Spectacle, — até instalar o Gnome-screenshot.

Desabilitando aplicação de cores do KDE em aplicativos não-Qt

Desabilitar a aplicação do esquema de cores do KDE em aplicativos não-Qt, — como Gimp, — evita que eles apresentem camadas ilegíveis de dicas etc.

Ao reiniciar o computador, as partições dos HDDs internos já foram automaticamente montadas, — mas não as do SSD externo (USB), — que em outras distros dispensam habilitação específica.

Configuração do Gerenciador de tarefas (Task manager): sem dicas, sem rolagem, ordem manual

  08:16 - Kate - open last used session
  08:27 - Task manager - config
  08:28 - Dolphin - Preferences - startup folder
  08:30 - Dolphin Previews - config
  08:36 - Gwenview - config
  08:39 - Wallpaper
  08:53 - Conky - beginning
  05:55 - Automount external SSD (USB) partitions
  09:10 - KSysguard - Akonadi, Baloo, PIM - none
  09:21 - Chromium - Video - Ok
  09:28 - Maia transparent (Theme)
  09:30 - Transparent-oxygen (Windows decoration)
  09:37 - Menu icon - KDE
  09:39 - Restart - Automount - Ok
  09:43 - Save Session - only Conky

A configuração do Kate para “Carregar a última sessão usada” é muito útil, quando se trabalha com vários textos, por vários dias seguidos (ou sempre, no caso do .conkyrc e do “histórico de pacotes”). — Salve uma “sessão” do Kate, dê a ela um nome relevante, — configure o Kate para abrir a última sessão, — e sempre que o abrir de modo direto, ele exibirá os mesmos textos de antes.

Isso não acontece se você o abrir por clique em um arquivo específico. — Neste caso, basta “Abrir sessão”, Enter, e voltam os textos anteriores. — Então, torne a clicar no arquivo específico, e ele se soma aos demais.

Foram desabilitadas as “dicas” do Gerenciador de tarefas, com seus retângulos enormes, — bem como a rolagem entre os aplicativos. — A ordenação manual permite organizar os aplicativos na Barra de tarefas, conforme preferir.

Estado inicial das pré-visualizações do Dolphin

Com o Dolphin já bastante personalizado, foi feito um registro das pré-visualizações originais, — a serem ampliadas mais tarde (adiante).

A montagem automática das partições dos HDDs internos já permite a configuração da partição /XTudo como “página inicial”. — É ali que estão os arquivos mais usados.

A configuração inicial do Gwenview se resume a fechar o painel lateral (F4); ampliar sua janela para uma boa visualização de imagens, — e definir Esc para Sair (ou Q, se não for possível). — Mais adiante, a Barra de ferramentas também será simplificada, com apenas “Ajustar”, “100%” e as setas de Anterior e Próximo.

Montagem automática de partições do SSD externo (USB), — mesmo se conectado depois

De volta às Configurações do sistema (KDE System settings), foi habilitada a montagem automática também das partições do SSD externo (USB), — tanto no início de cada sessão, quanto no caso dele ser plugado mais tarde.

Isso foi feito ainda na fase inicial de adaptação de um arquivo ~/.conkyrc trazido do LMDE 3 Beta, — que estava instalado, antes, no mesmo “Slot 11”. — Manter o ~/.conkyrc da distro instalada antes no mesmo “slot” facilita aproveitar o bloco inferior, com os caminhos (path) das 41 partições, com poucos ajustes (busca e substituição automática).

Reaplicação do ícone KDE ao Menu após o tema Maia transparent (Manjaro)

Após aplicar o tema Maia transparent (proveniente do Manjaro), — além da decoração de janelas Transparent oxygen, — era necessário restabelecer o ícone do KDE no Menu.

A essa altura, o Conky já tinha sido fechado e reiniciado (pelo Konsole), — após a instalação das fontes Verdana (ttf-mscorefonts-installer), — que mantêm certo espaçamento “semi-mono”, para alinhamento das colunas com números, pontos e letras.

Com as fontes Verdana, também aumenta o espaçamento vertical, — e falta ajustar o tamanho das letras no alto, para ganhar espaço embaixo.

Salvar sessão, — opção criada por “Restaurar sessão salva manualmente”

Pelo KSysguard, foi confirmado que nenhum processo PIM, Baloo, Akonadi está carregado, — uma boa consequência da “Instalação mínima” (bem como, de desabilitar Pesquisa de arquivos).

Desde então, o Kubuntu 19.04 “Disco Dingo” tem iniciado em cerca de 1’30’’, usando cerca de 422 MiB de Memória RAM.

Enfim, “Salvar sessão”, — com apenas o Conky rodando, — para fixar uma “sessão-padrão”, e monitorar o uso inicial de Memória RAM.

Criação de comandos (gnome-screenshot) para teclas de atalho PrtScn e Shift-PrtScn

Ao iniciar nova sessão, as partições do SSD externo também já são automaticamente montadas, — o que se reflete no Conky.

Com a instalação do gnome-screenshot, foram desativados os atalhos do KDE Spectacle — e criados atalhos personalizados para os comandos:

PrtScn

gnome-screenshot -p -f "/PATH/$(date +%F_%H-%M-%S)_Kdb.jpg"

Shift-PrtScn

gnome-screenshot -p -d 7 -f "/PATH/$(date +%F_%H-%M-%S)_Kdb.jpg"

onde -p inclui o ponteiro do Mouse; -d 7 dá um retardo (delay) de 7 segundos para abrir Menus; -f manda salvar automaticamente (sem diálogo) em um arquivo nomeado por data + hora + sufixo indicador da distro (Kdb); e .jpg define o formato.

  09:51 - Gnome screenshot
  10:01 - Dolphin - Previews
  10:32 - Synaptic clean cache
  10:36 - Dolphin - Previews

Pré-visualizações obtidas no Dolphin, — exceto de arquivos ePub

Dos pacotes requeridos para a pré-visualização de arquivos no Dolphin, já vieram com a “instalação mínima” do Kubuntu 19.04:

  kio extras
  libkf5baloowidgets bin
  kimageformat plugins
  kdegraphics thumbnailers
  ffmpegthumbs

O pacote “kdesdk-thumbnailers” não estava instalado, — mas como a pré-visualização de arquivos de vídeo funcionava sem problemas, deixei assim mesmo.

Resultado inferior, apenas, ao Mageia e ao PCLinuxOS, ambos .rpm

Foram instalados, e funcionaram:

  10:17:45 - kdegraphics-mobipocket
  10:29:51 - marble
  10:34:50 - calligrawords, calligrasheets (13 packages)

O Synaptic não encontrou “kde-thumbnailer-epub” nos repositórios, — mas isso era previsível.

O resultado iguala o que foi obtido no KDE Neon (16.04), Debian testing, openSUSE Leap, Slackware (by AlienBOB), Arch, Fedora 28, — ou seja, as distros com KDE 5.12 em diante.

Esvaziar e manter vazio o cache de pacotes instalados pelo Synaptic

Durante o exame dos pacotes de pré-visualização do Dolphin, finalmente lembrei de configurar o Synaptic para apagar os pacotes baixados, após instalar, — e fazer a limpeza imediata do cache de pacotes instalados até aquele momento.

Impossibilidade de copiar fotos do celular, por cabo USB

Falhou a primeira tentativa de copiar as fotos do celular por cabo USB, — problema já conhecido, quando se tenta a opção com maiúsculas em “Gerenciador de Arquivos”.

Fotos copiadas do celular, após instalar o Kamera

Após instalar o Kamera (11:13), surgiu a opção de abrir com “gerenciador de arquivos” (em minúsculas), — que é a que costuma funcionar.

Renomeando as fotos de celular pelo KRename

Com a instalação do KRename, as fotos foram renomeadas no mesmo formato das Capturas de tela e do Histórico de comandos: — YYYY-MM-DD_HH-mm-SS_NL — onde o sufixo indica a câmera (Nokia Lumia).

Instalando pacotes de suporte a Idioma, reiteradamente reclamados por insistentes Notificações

Desde a configuração de formatos Numéricos, monetários, data e hora para pt_BR (7:58), os Menus de vários aplicativos passaram a ser exibidos em Português, — e o sistema começou a reclamar que os pacotes de Idioma estavam incompletos. — Pode ter sido só coincidência, claro.

No início da tarde, finalmente foram atendidos os insistentes reclamos da Área de notificações, — no sentido de instalar os pacotes faltantes do Suporte a idioma.

De volta ao Kernel 4.4


Experiência com Kernel 4.4.139 no Kubuntu 19.04 “Disco Dingo” (daily-build)

Uma vez que o Chromium parece incapaz de lidar bem com “Páginas” do Facebook (e mais alguns fenômenos) com qualquer Kernel posterior ao 4.4, foi iniciada uma experiência, — já testada no Kubuntu 18.04 (dica Diolinux), — agora com o Kernel 4.4.139.

Opções de Kernel 4.4 do Ubuntu

Na página de Kernels do Ubuntu, encontram-se as versões desde v4.4.1-wily (2016-07-05) até v4.4.165 (2018-11-27), além das versões “rc”, — mas foi escolhida a v4.4.139 (2018-07-03), na suposição de que corresponda ao 4.4.0-139 que chegou ao Kubuntu 16.04 (+ KDE Neon 16.04, Mint 18 KDE) há cerca de 2 semanas.

Será que de fato corresponde? A verificar. — A única certeza, é de que não vão chegar atualizações, “espontaneamente”. — Se for mantido, será preciso repetir o processo, com certa regularidade, — ou descobrir um modo de adicionar esse PPA (e ajustar mais alguns parâmetros), para automatizar as atualizações.

Instalação do primeiro pacote do Kernel 4.4.139, — pela ordem alfa-numérica

Instalação do terceiro pacote do Kernel 4.4.139, — pela ordem alfa-numérica

Dos pacotes oferecidos na pasta específica v4.4.139, foram baixados:

linux-headers-4.4.139-0404139_4.4.139-0404139.201807030736_all.deb
linux-headers-4.4.139-0404139-generic_4.4.139-0404139.201807030736_amd64.deb
linux-image-4.4.139-0404139-generic_4.4.139-0404139.201807030736_amd64.deb

que pela ordem alfa-numérica já se colocam na sequência em que serão instalados.

Verificação dos pacotes não-livres instalados no Kubuntu 19.04

Lembrando que, — antes de fazer a instalação do Kernel, — convém remover quaisquer drivers proprietários, para evitar problemas...

Gerenciador de drivers, — faltou um “não”, ao traduzir para o Português

... mas não existem drivers proprietários, nesse computador.

Onde se lê “precisa”, leia-se: — “Seu computador não precisa de drivers proprietários”.

Atualização do Grub, para detectar o Kernel 4.4.139

Em seguida, o Grub foi atualizado, — para detectar o Kernel 4.4.139. — Coisa rápida, uma vez que os-prober está desabilitado.

Atualização do Menu de inicialização da máquina, pelo Grub do Mageia

Com isso, o Grub do Mageia já encontra elementos para atualizar o Menu de inicialização da máquina.

Seleção do Kernel 4.4.139 nas Opções avançadas do Grub, — e seleção automática no Boot seguinte

O primeiro Boot do Kernel 4.4.139 demorou 1’55’’ e o Conky indicou pequena redução no uso inicial de Memória RAM, — 389 MiB, cerca de 1 minuto após o pico inicial (KDE, Conexão).

Cerca de 4 horas mais tarde, a máquina foi reiniciada, — e o Kubuntu 19.04 / Kernel 4.4.139 carregou em 1’30’’, com uso inicial de 387 MiB.

A opção de carregar automaticamente a última seleção, — no Grub do Mageia, — facilita continuar o teste do Kernel 4.4.139 por tempo indefinido, sem necessidade de remover apressadamente o Kernel padrão.

Navegação relativamente ágil, — apesar do consumo relativamente intenso de CPU

No teste mais simples, — navegar e compartilhar em “Páginas” do Facebook, — essa instalação rápida do Kernel 4.4.139 apresentou resultados um tanto dúbios.

O “consumo” de CPU não foi tão escandaloso, — e de um modo geral, a navegação não ficou devagar-quase-travando, — mas ainda não igualou a “leveza” e agilidade do Kubuntu 16.04 LTS, nem do KDE Neon (16.04), nem do Mint 18 KDE (todos com Kernel 4.4.0-139 dos repositórios oficiais).

Menor “consumo” de CPU e compartilhamento bem mais rápido, em um segundo teste

Em um teste de compartilhamento da postagem de uma “Página”, foram gastos 29’’, entre o clique em “Compartilhar” e a exibição do aviso de sucesso.

Porém, em outro teste, o “consumo” de CPU estava bem menor, — e esse tempo foi de apenas 7’’.

Ver arquivo README e os Patches

Enfim, como a experiência estava só começando, os Patches foram diferidos para melhor ocasião. — Existe, aí, diversão para muitas horas.

Observações


Comparação com as demais distros, em 26 Nov 2018

Uma vez que o veterano Kubuntu 16.04 LTS “Xenial Xerus” é a última versão a funcionar bem nesse hardware antigo, — bem como seus “derivados” Linux Mint 18 e o antigo KDE Neon “Xenial”, — não tenho intenção de substituí-los por versões mais recentes, por enquanto.

Por isso, a instalação do Kubuntu 19.04 “Disco Dingo” foi feita em outras partições, — só para não perder contato com a evolução do Kubuntu, — e aproveitei para conhecer sua “instalação mínima”, que nunca havia experimentado antes.

Também é uma oportunidade para rever as configurações adotadas nas demais distros, e registrar eventuais diferenças. — Cedo ou tarde, chegará a hora de um hardware mais atual, — em que as distros antigas deixem de ser necessárias.

Até lá, esse esquema de 12 distros em “dualboot” permite usufruir o melhor de 2 mundos, — a confiabilidade das distros mais antigas e os avanços das mais atuais, — além de experimentar distros ainda desconhecidas, durante meses, sem pressa.

A única dificuldade é decidir, pela manhã, qual delas vou usar.

Wallpaper


Seleção retangular na proporção 1280 x 1024, para ampliação gradativa

Foto de Goiás (GO), Brazil, 3 April 2016, by Josue Marinho, originalmente postada no Panoramio e mais tarde preservada na Wikimedia Commons.

Verificação da largura necessária para contraste do Conky

A seleção retangular inicial de 1280 x 1024 pixels foi gradualmente ampliada, — a partir do tema central, ao fundo, — de modo a abranger uma área de sombra, à esquerda, na largura necessária para dar contraste ao Conky.

— … ≠ • ≠ … —

Ferramentas &tc.



Kubuntu