segunda-feira, 16 de março de 2015

Quantas pessoas cabem na Avenida Paulista?

Medindo um quarteirão, de cruzamento a cruzamento

O Google Earth é uma ferramenta muito útil, quando se quer saber, — por exemplo, — “quantas pessoas cabem na Avenida Paulista”.

O mais simples é medir a extensão de um quarteirão, de um cruzamento a outro. Basta criar um “caminho”, clicando nos 2 pontos, e em seguida procurar a sua extensão na aba “Medidas”.


Tentando medir a largura útil em um ponto da Avenida Paulista

Medir a largura útil pode dar um pouco mais de trabalho, pois os limites ao pedestre não são tão óbvios.

Em dois locais medidos, a distância de um prédio (ou parede) a outro, dos dois lados da via, fica em torno de 42 metros.

Tentando medir o espaço livre em outro ponto da Av. Paulista

É claro que em alguns pontos essa largura útil pode ser maior, — porém existem canteiros, bancas de revistas, entradas do Metrô etc. que deveriam ser subtraídos ao espaço livre.

Trecho
Compr.
x 42 m
= m²
R. Hadock Lobo a R. Augusta
123
5.166
R. Augusta a R. Frei Caneca
178
7.476
R. Frei Caneca a Al. Min. Rocha Azevedo
133
5.586
Al. Min. Rocha Azevedo a R. Peixoto Gomide
133
5.586
R. Peixoto Gomide a Al. Casa Branca
177
7.434
Al Casa Branca a R. Pamplona
281
11.802
R. Pamplona a Al. Campinas
213
8.946
Al. Campinas a Al. Joaquim Eugênio de Lima
199
8.358
Al. Joaquim Engênio de Lima a Av. Brig. Luis Antonio
244
10.248
Av. Brig. Luis Antonio a R. Carlos Sampaio
222
9.324
R. Carlos Sampaio a R. Teixeira da Silva
118
4.956
R. Teixeira da Silva a R. Treze de Maio
362
15.204
Soma
2.383
100.086

Considerando, portanto, uma largura padrão de 42 metros úteis, — e deixando de lado variações para mais ou para menos, — é fácil calcular a área em metros quadrados.

É o que vê na última coluna da tabela, com a soma na última linha: — cerca de 100.000 m².

Preferi fazer isso, trecho por trecho, pois é preciso avaliar quais deles estiveram efetivamente ocupados, numa ou noutra manifestação.

Omitidos os primeiros 2 quarteirões a NW, onde boa parte do espaço corresponde a um tunel

Foram omitidos os primeiros 2 quarteirões, onde a via se divide com o Túnel José Roberto Fanganiello Melhem.

Disponibilidade de espaço nos quarteirões da extremidade NW da Avenida Paulista

Esse trecho compartilhado com o túnel acrescentaria 260 metros ao comprimento total, — porém é mais complicado calcular a largura média do espaço realmente ocupado.

Entrada do Túnel José Roberto Fanganiello Melhem, extremidade NW da Avenida Paulista

Uma rara visão desse trecho, — com data e horário bem definidos, — viria a se tornar conhecida na noite do Dom., 4 Set. 2016, quando a repórter fotográfica Marlene Bergamo, da Folha, postou uma foto da manifestação na entrada do túnel, em seu perfil no Facebook.

O momento exato em que a imagem entrou na rede

A imagem foi replicada por inúmeras “Páginas” e “Perfis” no Facebook, nas 24 horas subsequentes, o que facilitou delimitar o momento quase exato.

Quanto à taxa de ocupação, teria de ser conferida pelo máximo de fotos, ao nível do solo ou bem próximo.

Espaçamento mais visível nos cantos onde a vista incide mais próximo da vertical

E nisso influi muito o ângulo da imagem, — que costuma revelar melhor a realidade nos cantos onde incide mais verticalmente, e menos nos cantos onde incide com maior inclinação, — pois aí, os corpos ocultam o espaço entre as pessoas.

Mesmo nas fotos mais “verticais”, o espaçamento é mais visível na parte inferior, e escamoteado na parte de cima

De uma janela elevada, o espaçamento é mais visível na parte inferior, e escamoteado na parte de cima

A taxa de 4 pessoas por metro quadrado, — que daria, no máximo, 400 mil pessoas, — é coisa de elevador lotado. Significaria multidão compacta. As pessoas mal poderiam mexer um braço.

O mais comum, nas fotos de inúmeros eventos já registrados na Paulista, é de pessoas bastante espaçadas, — bem menos do que 1 pessoa por 4 metros quadrados (2 x 2 m), — o que nos traz para uma realidade de, no máximo, 25 mil pessoas.

— … ≠ • ≠ … —

Ferramentas &tc.


Um comentário: