terça-feira, 30 de agosto de 2016

Corrigindo pontos de montagem no Linux Mint 18 KDE

A “página inicial” do Dolphin não podia ser aberta, pelo caminho “/media/flavio/F”

A instalação do Linux Mint 18 “Sarah” KDE (Beta), — em substituição ao Linux Mint 17.3 Cinnamon, — deixou um “mistério”, desde o Sábado, 20 Ago. 2016:

Os pontos de montagem previamente padronizados, — “E”, “F”, “Home1”, “Linux1”, “Linux3”, “Linux4”, — não podiam ser acessados.

10:57 - Isso ficou evidente ao abrir o Dolphin, — com as configurações “herdadas” do antigo Linux Mint 17.3 Cinnamon, — e não ser possível exibir sua “página inicial”, pelo antigo ponto de montagem em “/media/flavio/F”.

Dispositivos com os nomes corretos, no painel lateral do Dolphin, associados a novos pontos de montagem

10:57 - No entanto, ao clicar nos “dispositivos” no painel lateral do Dolphin, — todos com as “etiquetas” (Label) corretas, — a montagem se realizava sem nenhum problema, — porém, através de pontos de montagem duplicados, nomeados como “E1”, “F1”, “Home11”, “Linux11”, “Linux31”, “Linux41”.

Hipótese de superposição


À primeira vista, essa duplicação parecia resultar da sobreposição de dois métodos diferentes de montagem automática, — supostamente utilizados ao mesmo tempo:

Montagem automática pelo KDE


Montagem automática de partições, como “mídias removíveis”, nas Configurações de sistema do KDE

10:39 – Tinha sido ativada montagem automática das partições adicionais* de documentos “E”, “F” (Fat32), “Home1” (Kubuntu), e partições de sistema dos demais Linux (1, 3, 4).

Este é um recurso típico do KDE:

  • Configurações do sistema → Hardware → Dispositivos removíveis → Habilitar montagem automática → [x] Montar automaticamente no início da sessão

Essa configuração do KDE vem sendo usado há muitos anos, no Kubuntu, — e mais recentemente, também no KDE Neon User Edition, — embora (ainda) não tenha funcionado no Debian testing “Stretch” KDE.

* Por “adicionais”, entendam-se, — partições que não pertencem ao sistema (“/” ou “/home”), — pois estas já estão no arquivo “/etc/fstab”, por padrão.

Montagem “automática” no Cinnamon


Comandos para montagem de partições adicionais — herdados dos “Aplicativos de sessão” do Cinnamon

No antigo Linux Mint 17.3 Cinnamon, não existia esse recurso, — e a solução mais simples tinha sido a montagem de partições adicionais* por meio de comandos “udisks” em “Aplicativos de sessão”, — para serem disparados no início de cada sessão:

  • udisksctl mount --block-device /dev/disk/by-uuid/<UUID>

10:42 – Percorrendo mais algumas Configurações do sistema, deparou-se aquela “herança” do Linux Mint 17.3 Cinnamon, — incorporada, agora, em uma seção do KDE equivalente aos “Aplicativos de sessão”:

  • Configurações do sistema → Espaço de trabalho → Iniciação e desligamento → [x] Aplicativos iniciados automaticamente

com os comandos “udisks” para montagem dessas 6 partições adicionais*.

* Por “adicionais”, entendam-se, — partições que não pertencem ao sistema (“/” ou “/home”), — pois estas já estão no arquivo “/etc/fstab”, por padrão.

Hipótese rejeitada


A primeira sessão do Linux Mint 18 “Sarah” KDE (Beta) instalado estendeu-se até depois do meio-dia

10:20 - Esses comandos “udisks”, — presentes desde antes da instalação, — com certeza foram executados já no boot inicial, às 10:20.

12:38 - No entanto, a montagem automática pelas Configurações de sistema do KDE só deveria fazer efeito a partir do primeiro Reboot, e consequente início de (nova) sessão, — o que só aconteceu bem mais tarde, depois do meio-dia.

Às 10:57, portanto, ainda não tinha ocorrido nenhuma superposição* dos dois métodos.

* A “superposição” dos dois métodos foi mantida, — nos primeiros 2 ou 3 Reboot, — sem acrescentar qualquer novidade a esse quadro, preexistente. — Os comandos “udisks” (herdados do Cinnamon) só foram deletados no final da tarde, às 16:45.

Pausa


Alteração provisória do caminho (path) para os pontos de montagem das partições no arquivo “/home/.conkyrc”

A duplicação dos pontos de montagem, — com os “certos” inacessíveis, e os “errados” funcionando, — não chegou a ser nenhum desastre, nem causava grandes prejuízos.

Foi necessário alterar a “página inicial” do Dolphin, adaptar a configuração do Conky e do Wine etc., — mas, nada que impusesse largar tudo mais, para resolver com urgência.

Alteração provisória do caminho (path) para oos pontos de montagem no “Mapeamento de unidades” do Wine

Desse modo, o assunto pôde ficar de molho, por alguns dias, para observação das pastas do sistema e pesquisa sobre “pontos de montagem” no Linux.

A ideia não era solucionar “de qualquer modo”, — seja o “mistério”, seja o eventual “incômodo”.

O que interessava, era “normalizar” a situação. — O Mint KDE não difere do Kubuntu ou do KDE Neon, em sua estrutura, — e não havia motivo para aceitar, como inevitável, qualquer solução diferente.

Observações - Sexta (26)


Opção “Montar todas as mídias removíveis no início da sessão” tornava inútil desmarcar “Linux2” e “Home2”

Uma última série de observações foi realizada uma semana depois, na Sexta (26).

16:51 - A primeira observação refere-se à montagem das partições “Linux2” e “Home2”, — desnecessária, uma vez que são as pastas “/” e “/home” do próprio Mint, já incluídas (por default) no arquivo “/etc/fstab”, — apesar de estarem desmarcadas na configuração de “dispositivos” do KDE.

O erro estava na opção “Montar todas as mídias removíveis no início da sessão”, — que tornava inútil desmarcar as partições “Linux2” e “Home2”, — e por isso precisava ser desabilitada.

Os pontos de montagem apresentam-se como “pastas” dentro de “/media/USER/

17:12 - Também chamaram atenção as datas dos pontos de montagem em “/media/flavio/”, — onde aparecem como “pastas”, dentro da “árvore” de arquivos da partição do sistema:

As pastas originais, — “E”, “F”, “Home1”, “Linux1”, “Linux3”, “Linux4”, além do Pendrive “Linux Mint 18 KDE 64-bit”, — apresentavam-se datadas das 15:49 do dia 18.

Nessa data e horário, foi carregado pela última vez o antigo Linux Mint 17.3 Cinnamon, — logo após a gravação da imagem ISO do Mint 18 no Pendrive, — para montar e examinar seu conteúdo.

Tratava-se, portanto, da última vez que essas “pastas” foram utilizadas para montagem das respectivas partições.

As pastas “E1” e “F1”, — pontos da efetiva montagem de partições Fat32, — assumiam a data “epoch”.

Trata-se de 1º Jan. 1970, — a “data inicial” dos sistemas Unix, — convertida em horário local (UTC -03:00).

Hipótese: — Partições Fat32 não mantêm datação compatível com a dos sistemas Unix.

As pastas “Home11”, “Linux11”, “Linux31” e “Linux41”, — uma vez montadas, — assumiam datas específicas:

  • Home11: 20/6, às 21:38 → Aplicação co comando “mount --options remount,rw /” em  “Recovery mode” para recuperação de privilégios no Kubuntu (“Linux1”)
  • Linux11: 08/8, às 19:00 → Última atualização de Kernel do Kubuntu (“Linux1”)
  • Linux31: 28/6, às 12:44 → Antepenúltima atualização de Kernel do Debian (“Linux3”)
  • Linux41: 08/8, às 21:02 → Última atualização de Kernel do KDE Neon (“Linux4”)

Sinais de que a pasta “/mnt/” nunca foi usada para pontos de montagem

17:16 - Um exame da pasta “/mnt/” mostrou um conjunto de apenas 6 partições, — todas datadas de 29 Jan. 2016 (instalação do antigo Linux Mint 17.3 Cinnamon), — e que não corresponde ao atual particionamento dos discos rígidos.

Isso, com as atuais partições, — “E”, “F”, “Home1”, “Linux1”, “Linux3”, “Linux4” (ou suas “duplicatas”), — montadas.

Ficava claro, portanto, que a pasta “/mnt/” há muito tempo não é atualizada, — porque nunca foi utilizada como caminho para a montagem de partições, — nem no Mint 17.3, nem agora no Mint 18.

20:50 - Enfim, foi reiniciado o Linux Mint 18 KDE, — após desmarcar a montagem automática de todas as partições “adicionais”, — para um exame das sub-pastas em “/dev/disk/”:

  • /dev/disk/by-id/
  • /dev/disk/by-label/
  • /dev/disk/by-path/
  • /dev/disk/by-uuid/

Nenhuma irregularidade na pasta “/dev/disk/by-label/”

Em “/dev/disk/by-label/”, 8 pastas, — correspondentes às 8 partições de sistema e de documentos, — todas com data e hora do início da sessão atual.

Nenhuma grande irregularidade na pasta “/dev/disk/by-id/”

Em “/dev/disk/by-id/”, 41 pastas, — correspondentes a todas as 16 partições (Swap inclusive), mais os discos rígidos em si mesmos, e as partições estendidas, e a unidade de CD/DVD, — todas com data e hora do início da sessão atual.

Com exceção da unidade de CD/DVD, a cada disco ou partição correspondem 2 entradas, — uma começando por “ata-Maxtor” / “ata-Samsung”, outra por “wwn-”, — ao que consta, um identificador “world wide”, sem qualquer indicação de constituir anomalia.

Um tema para estudos, mas, — por si só, — sem relação aparente com o problema inicial.

Nenhuma grande irregularidade na pasta “/dev/disk/by-path/”

Em “/dev/disk/by-path/”, 12 pastas, — uma para cada disco rígido, e 10 referentes apenas ao segundo HDD, — todas com data e hora do início da sessão atual.

As pastas referentes ao segundo HDD incluem a partição estendida, e mais, — ao que parece, — uma partição “sdb2” que há muitos anos deixou de existir.

Um mistério curioso, mas que, — por si só, — não oferece qualquer perspectiva de “explicar” o problema inicial.

Tudo normal na pasta “/dev/disk/by-uuid/”

Em “/dev/disk/by-uuid/”, 16 pastas, com “nomes” velhos conhecidos, — correspondentes às 16 partições de sistema, documentos e Swap, — todas com data e hora do início da sessão atual.

Pasta “/media/flavio” apenas com os pontos de montagem “fantasma”

Por fim, a pasta “/media/flavio”, — agora, sem qualquer partição montada, — exceto “/” e “/home” via “/etc/fstab”, por UUID.

Aparecem, agora, apenas as 6 partições adicionais, — não-pertencentes ao Linux Mint, — e mais o Pendrive “Linux Mint 18 KDE 64-bit”.

Todas com a mesma data e hora da última sessão do antigo Mint 17.3, — e nenhuma duplicação.

Conclusão


Deletando as pastas dos pontos-de-montagem “fantasma” com o comando “rmdir”

A conclusão dessas observações é de que os antigos pontos de montagem, — datados da última sessão do Mint 17.3, — eram o único fator claramente inútil.

Não tiveram qualquer uso, desde então, — não davam qualquer acesso às partições, — e sua presença forçava o sistema a criar novos pontos de montagem, com acréscimo do dígito “1”, para diferenciá-los.

Passadas mais 24 horas, — para assentar as ideias, — foram simplesmente deletados.

Para isso foi utilizado o comando “rmdir”, — remover pasta (diretório), — com privilégios de Administrador:

su → (senha)
cd /media/flavio
ls → (listar as “pastas” = pontos de montagem)
rmdir E
rmdir F
(etc.)

A partir daí, os novos pontos de montagem passaram a ser criados, automaticamente, com os nomes corretos das etiquetas (label) das partições, — “E”, “F”, “Home1”, “Linux1”, “Linux3”, “Linux4”.

Uma vez comprovada a solução, voltou a ser configurada a montagem automática das partições, — a “página inicial” do Dolphin voltou a ser encaminhada para “F”, — e o Conky e o Wine voltaram a ser ajustados para os caminhos tradicionais.

_________
Publicado em 30 Ago. 2016, às 6:02; e desenvolvido até 2:00 de 31 Ago. 2016.

— … ≠ • ≠ … —

Linux Mint



Kubuntu & KDE


Nenhum comentário:

Postar um comentário