quinta-feira, 31 de março de 2016

Fedora 24 alpha KDE em sessão Live USB

Tela inicial do Fedora 24 alpha KDE, às 14:47

Esta foi minha primeira experiência, na vida, com um Linux alheio à “família” Debian, — onde mal me viro com meia-dúzia de comandos básicos, — por isso, feitas as contas, o que parece um retumbante fracasso foi, na verdade, um aprendizado valioso. E nem um pouco desagradável. Gostei tanto, que entrei pela madrugada. Apenas, não consegui produzir nada, além de screenshots.

E que safra de screenshots!, — nada menos que 77, das 14:52 às 17:19, — quase todos com mensagem semi-transparente de erro.

Verdade, consegui fazer boa parte das configurações habituais, para trabalhar com mais agilidade, — mas o trabalho, mesmo, não andou, por falta de LibreOffice e de Gimp, e por impossibilidade de obtê-los. Boa parte dessas 2h30 minutos se gastou em luta com o Calligra (nunca usado antes) e com o instalador de programas.

Mas, foi instrutivo. O que sabia sobre o Fedora, era praticamente zero. — Ao passo que, agora, tenho meia dúzia de tópicos para pesquisar, caso queira dar mais um passo.

Fedora, download, Live USB


Fedora está em 5º lugar no ranking de “acessos por dia” do Distrowatch nos últimos 12 meses, logo abaixo do Linux Mint, Debian, Ubuntu e openSUSE. Trata-se de um ranking apenas de “interesse” (busca de informações). Nas últimas 4 semanas, havia caído para a 6ª posição, mas na última semana já recuperou e apresenta algum crescimento.

O Fedora 23 foi lançado em 3 Nov. 2015, — há 5 meses, portanto, — e no último dia 29 Mar. (anteontem), já foi liberada a primeira versão “alpha” do próximo Fedora 24 (Distrowatch), previsto para lançamento em Jun. 2016 (Wikipedia EN). O ambiente desktop padrão é o Gnome, mas oferece várias alternativas (Distrowatch). No site oficial, você se depara logo com 3 “Baixar agora”: — “Workstation” (desktop), “Server” e “Cloud”, — cujos links levam às versões Fedora 23, de 64bit (“x86_64_23-10”), pelo menos no meu caso.

Em vez disso, — se você procura um Fedora 23 “não-Gnome”, — veja no rodapé da página, embaixo do título “Download”, a opção (em letras miúdas) “Fedora spins”, que leva a uma página com as versões KDE, Xfce, Mate-Compiz, Cinnamon, Soas; ou a opção “Fedora Labs”, para versões especializadas “Design suite”, “Games”, “Robotics suite”, “Scientific”, “Security Lab”.

Pouco antes do rodapé, você passou pelo destaque “Fedora 24 Alpha released”, — que leva só às opções especializadas “Astronomy”, “Jam”, “Robotics suite” e “Scientific”.

Ou, escolha a última opção do rodapé, — “Torrent Downloads”, — que apresenta todas essas opções numa tabela simples (mas sem esclarecimentos).

Gerando a midia USB (Pendrive) do Fedora 24 alpha KDE por comando “dd

Esqueça o “USB Creator”, que ignora solenemente as ISOs do Fedora. Em geral basta triscar em qualquer outra ISO, para preencher com ela o campo respectivo. Mão há jeito dele aceitar uma ISO do Fedora. É o mesmo que você não clicar em em nada, — o campo permanece em branco.

Links sobre “como gerar a mídia”, no Guia oficial de instalação, te levam a uma enciclopédia, que dá a volta ao quarteirão. Boa parte das alternativas recomendadas dependem de você já ter um Fedora instalado, ou um Windows moderno, e/ou softwares de que nunca tinha ouvido falar, até ontem.

De todas as alternativas, a única ao meu alcance imediato era mesmo o comando “dd”:

dd if=/path/Fedora-XYZ.iso of=/dev/sdc

Depois de várias cabeçadas, — com o Fedora 24 alpha KDE, com o Fedora 23 KDE e com o Fedora 24 alpha Workstation (padrão: Gnome), — nova pesquisa sobre a geração da mídia apontou variações dentro do próprio site oficial:

bs=8M
bs=1M
bs=1M count=100
bs=8M && sync

Trata-se de diferentes versões do Guia, desde o Fedora 17 até o Fedora 23. É tentador deixar-se hipnotizar por miuçalhas como essa. Pesquisa adicional sobre o comando “dd” não sugere grandes probabilidades de resultado prático, caso faça mil testes em torno dessa hipótese. Fica o registro.

Num dos outros testes, mais tarde, utilizei “bs=1M”, mas não ouvi soarem trombetas.

Tela de opções para o carregamento do Fedora 24 alpha KDE em Live USB

Boot


Ao inicializar o computador a partir do Pendrive, são oferecidas 2 opções principais, e 2 alternativas:

  1. Iniciar
  2. Testar midia e iniciar
  • Solução de problemas
  • TAB para configuração das opções

Escolhido “Testar a midia e inciar”, surgiu uma mensagem de “Supported ISO: no”, porém passou desapercebido, uma vez que o processo transcorreu rapidamente, e com toda aparência de sucesso.

Teste da midia USB (Pendrive) antes de carregar o Fedora 24 alpha KDE

Pesquisando mais tarde, na web, foram encontrados alguns registros de bug com essa frase, aqui e ali, porém nenhuma com prosseguimento aparentemente exitoso. São casos em que o bicho empacou.

Para um absoluto ignorante em Fedora, a tentação de se hipnotizar por essa frase também é grande. Fica o registro.

1ª sessão Live USB


A tecla PrtScn aciona o Spectacle, — com suas boas opções de “Salvar e sair”, e de Configurar o nome (automático) e a pasta onde os prints serão salvos, — mas a brincadeira foi muito mais divertida.

Relatório do crash do Spectacle, printado por ele mesmo, no Fedora 24 alpha KDE em Live USB

Feita a configuração do nome automático (data_hora) e da pasta (F:\…\Fedora…etc), — imediatamente deu crash no Spectacle. — Mas, um crash curioso, pois ele continuou funcionando, e salvando com os nomes corretos, na pasta correta, por mais 2h30m.

Só de brincadeira, aproveitei para fazer um print do crash dele próprio.

Dolphin ajustado para agilizar o trabalho no Fedora 24 alpha KDE em Live USB

Das 14:56 às 15:35 foram configurados o Fuso horário, o Dolphin, e o Gwenview, sem incidentes.

Depois das 15:37, a brincadeira começou a perder um pouco da graça.

Primeiro, porque a midia não inclui LibreOffice, — lidar com o Calligra, de improviso, pela primeira vez na vida, não foi muito produtivo, — e tampouco inclui o Gimp.

Algum tempo perdido no Apper, sem nenhum sucesso em instalar Gimp ou LibreOffice.

Forte sensação de que isso talvez não seja possível no Fedora em sessão Live USB, — mas nenhuma confirmação explícita encontrada, até agora, no site oficial ou na web.

às 16:26, Firefox sincronizado (Complementos e Favoritos), — System Monitor (KSystemguard) indica uso de 1,2 de 3,9 GiB da memória (e zero de 8,3 GiB swap).

“Erros inesperados” no Apper e no Spectacle, em sessão Live USB Fedora 24 alpha KDE

Às 16:42, — após sucessivas tentativas falhadas de instalação de software, — crash do Apper (“Out of memory”), e novo crash do Spectacle (///config/spectacler “not writable”). Mas, o Spectacle continua printando. Apenas, incluindo suas próprias mensagens de erro. — Uso de memória: 1,3 de 3,9 GiB.

Às 16:44, “erro inesperado” no Dolphin (continua funcionando) e no Spectacle (segue printando). — Daqui por diante, todos os prints de “erro” incluem também “erro” do Spectacle (às vezes superpostos).

Às 16:50, “erro” ao tentar fazer anotações no Calligra. Erro ao verificar o layout Teclado. Erro ao tentar uma visualização no Gwenview (///config/gwenviewrc “not writable”).

Às 17:16, Firefox desaparecido. Não pode ser aberto, porque já está aberto. Três tentativas de “encerrar” o Firefox pelo System Monitor (KSysguard), até 17:19.

Hora de encerrar a experiência, — já que não é possível receber as fotos enviadas do celular por email, nem editar imagens, nem vale a pena tentar trabalhar com um editor de textos (Calligra) nunca utilizado antes, sem Teclado PT-BR e sem acesso ao 3º nível.

2ª sessão Live USB


Confiado em experiências recentes, — com pausa, aviso para remover o Pendrive e clicar Enter, — acabei voltando ao Fedora 24 alpha KDE.

17:24 – Tela inicial do Fedora

17:26 – Dolphin aberto para buscar o primeiro PrtScn, gravado (por padrão) na pasta /home/Pictures

17:27 – Dolphin → partição F:\ — para montar, antes de configurar o Spectacle para gravar nela os prints… Epa. Mensagem de erro.

17:43 – System monitor, com Dolphin, Firefox, Gwenview e Calligra abertos

17:44 – System monitor, após novo crash do Firefox… com mensagem de erro também do Spectacle.

Tira-teima


Não fiquei nem um pouco satisfeito com esse desfecho. Mas, tampouco via motivo para prosseguir. Por todos os lados que considerasse a experiência, não era possível ver utilidade em tentar “trabalhar em sessão Live USB” com uma ISO sem Gimp, sem LibreOffice, e aparentemente sem possibilidade de instalar, sequer, uma fonte de letra.

Para tirar uma prova, baixei e rodei mais 2 ISO Fedora:

  • 31 Mar., 0:06 → Fedora 23 KDE
  • 31 Mar., 18:00 → Fedora 24 alpha Workstation (Gnome)

No primeiro caso, para ver o KDE em um Fedora já lançado. — No segundo, para ver o Fedora 24 alpha sem o KDE.

Live USB Fedora 23-10 KDE


Por quase 3 horas, de 0:06 às 2:58, foi possível trabalhar razoavelmente, — em especial, colocar em dia a comunicação (Firefox com complementos), por quase uma hora, sem problema, — e depois, levantar o relato cronológico da experiência, a partir dos prints, usando Gwenview e Dolphin. Dessa vez, o Teclado ABNT2 funcionou sem problemas no Calligra.

Feito tudo que havia para ser feito, era hora de cutucar a onça.

“Read-only file system” no Apper em Live USB Fedora 23 KDE

Às 3:06, aberto o Apper. Dá impressão de que precisa de um longo tempo, antes de começar a funcionar. No começo, não encontra nada, embora pareça normal. Às 3:13 → “Aconteceu algum errro que não era esperado”. Às 3:19, finalmente começa a encontrar as coisas digitadas no campo de busca. Às 3:26, instalar Gimp e Vermana2000. Às 3:27, “problema” no Apper.

  • Às 3:32, Firefox avisa: “Sync encountered an error while syncing: Unknown error”.
  • PrtScn não funciona mais.
  • Apper fecha inesperadamente, ao dar Esc para fechar uma subjanela.
  • Terminal não abre.
  • Firefox, fechado há pouco, também não abre mais.
  • Menu → Shutdown → Não acontece nada.

Sessão encerrada pelo botão de energia.

Fedora 24 alpha Workstation (Gnome)


17:53 – Concluída gravação da ISO no Pendrive.

18h00 – Acumulado ateh aqui: (1) Crash logo na tela de pre-entrada, ~Try or install~, mandei Reload (ver foto NL), e apagou o aviso. (2) PrtScn nao reage, e nao ha nada em /home/Pictures, (3) Gerenciador de arquivos muito simples, sem nome, sem ~About~, a muito custo descobri o caminho para umas pobres configuracoes, no entanto bastou ajustar as propriedades de visualizacao de 1 pasta, e fez efeito geral, (4) Tem LibreOffice, (5) Tem um Screenshot, que oferece nomeacao automatica de arquivos no formato ~Screenshot from 2016-03-31 17-20-19~ e daih por diante lembra a pasta escolhida antes. Mas nao responde ao PrtScn, eh preciso procurar no menuzao.

18h27 – Keyboard. Clicado em Add para adicionar PrtScn, e a janelica de configuracao desapareceu. Alt-Tab nao acusa sua existencia, soh LibreOffice e Gerenciador de arquivos. Reaberto pelo caminho burocratico (Atividades, Quadro de bolotas, exibir um punhado de icones enormes ocupando toda a tela). Parece configurada PrtScn, sim, soh que nao funciona.

Layout de Teclado aparece em Region & language, Input sources. “+” para adicionar, Portugues (Brasil), ok, e já começou a valer no LibreOffice, sem nem precisar fechar e abrir de novo.

18:37 – Firefox conectado, já fez Sign in e já está sincronizando. Navegação normal, até parece mais ágil do que no Kubuntu instalado. Mais leve no FB. – Flash unavailable.

19:18 – Nada mais a fazer por aqui. Pouquíssimos softwares (cabem quase todos numa tela, mesmo abusando da enormidade dos ícones), e a maioria não interessa neste momento (som, fotos, vídeo, Evolution para emails).

19:28 – Restaurado o Gerenciador de arquivos, e apareceu tudo no formato de ícones enormes, inclusive a pasta que estava aberta com exibição em lista. Tudo bem, bastou ajustar numa aba, e voltou a valer para as outras abas.

20:10 – Disparado o comando:

  • su
  • dnf install gimp

A princípio, pareceu funcionar, depois começaram a surgir erros, — deixo de transcrever as 395 linhas do Terminal, — mas, pelo menos, não deteriorou o sistema inteiro.

A penúltima das 395 linhas diz o seguinte:

Message: "[Errno 30] Read-only file system: '/var/cache/dnf/expired_repos.json'"

21:50 – Nada mais a fazer, sem Gimp, sem PrtScn ágil, sem quase nada configurável.

Aprendizado


Por incrível que pareça, foi muito instrutivo esse contato inicial com o Fedora, — aprender não é só obter domínio imediato, mas também identificar dúvidas e pontos a pesquisar.

A aparente impossibilidade de instalar, sequer, uma fonte de letra em sessão Live USB, — embora não encontre afirmação explícita neste sentido, — sugere que a resposta não seja tão simples.

Também ficou evidente, — ainda que de modo indireto e meio distante, — que a “zona de conforto” do Kubuntu 14.04 LTS (com KDE 4) pode ter levado a descuidar do que se passa no KDE 5.0 (Jul. 2014!), … 5.5, 5.6.

Régua de tela (Kruler) descoberta no Fedora 23 KDE

Este relato foi publicado inicialmente às 9:59 de 31 Mar. 2016, com 1 imagem, e as informações de download e gravação da midia. — Tudo mais foi acrescentado das 17:40 de 2 Abr. às 2:30 de 3 Abr., — sempre em Kubuntu 14.04 (HD).

Também em Kubuntu 14.04 (HD) foram renomeadas em massa as fotos de celular, com pyRenamer, para se enfileirarem cronologicamente com os prints do Spectacle feitos no Fedora 24 alpha KDE.

Apenas o levantamento cronológico, com base nos prints e fotos assim alinhados, foi feito em sessão Live USB Fedora 23-10 KDE, usando Calligra, Dolphin e Gwenview.

— … ≠ • ≠ … —

Não-debians



Testes de trabalho em “Live USB”


Nenhum comentário:

Postar um comentário