sexta-feira, 1 de abril de 2016

Mageia 5 KDE Live USB

Mageia 5 KDE em Live USB com 2 “Atividades” e 5 programas abertos

O Mageia 5 KDE (64bit) mostrou-se uma ótima distro para configuração e trabalho imediato em Live USB, — mesmo para quem nunca tinha se arriscado fora da família Debian, nem jamais leu 1 linha sequer de informação sobre Mageia, nem sobre Mandriva, Conectiva ou Mandrake (seus ascendentes), e muito menos sobre “pacotes rpm” etc.

Até o final deste relato (2:20 de 2 Abr. 2016), o “teste de trabalho” se realizou em 2 sessões Live USB, de 1h50m e de 17h20m, — sem nenhum crash ou mensagem de erro.

Faltam plugins para vídeo no Firefox, — não instalados em nenhum teste desta série, — e fontes Verdana ou similar (usei Sans Bold).

Por total desconhecimento do universo Mageia / Mandriva, rpm etc., também não foi instalado nenhum programa equivalente ao pyRenamer, — o que, aliás, tampouco foi feito em qualquer outro “teste de trabalho” da série.

Por sinal, o RPMdrake, — “Instalar e remover programas”, — parece limitar-se ao que já veio no Live USB. Muito longe dos 26,8 mil pacotes em desenvolvimento, listados no Distrowatch. Fato é que não consegui encontrar nada do que procurei para instalar, — mas, veio com o Gimp, LibreOffice e tudo de mais essencial que precisava para uso imediato.

Mesmo assim, — depois de quebrar a cara 4 vezes, em 3 tentativas com Fedora em Live USB, — o Mageia 5 KDE fluiu como um rio de mel no paraíso.

Opções iniciais do Live USB Mageia 5 KDE: carregar sessão, instalar, linguagem etc.

1ª sessão Live USB


A 1ª sessão Live USB começou no dia 31 Mar. 2016, às 22:40, sem grandes expectativas, quase que por desencargo de consciência. Ao deletar 4 ISOs do Fedora, restou essa ISO do Mageia, ainda por testar.

Foi uma surpresa tão agradável, — verdadeira volta a tudo que perdi desde a descontinuação do Kurumin, — que merecia um teste completo no dia seguinte.

Escolha da linguagem, — antes de iniciar a sessão Live USB com Mageia 5 KDE

A começar, pela velha e boa prática de colocar a seleção da linguagem antes de carregar a sessão Live USB, — o que, convenhamos, é 1.000 vezes mais racional do que ser obrigado a tentar mais tarde (tarde demais), via Configurações do sistema, e gastar um tempo besta para, — no final, — ser avisado de que a nova linguagem só estará disponível… “após reiniciar”.

Essa já foi a boa prática de várias distros, alguns anos atrás. No Ubuntu, por exemplo (talvez ainda seja). Mas em várias outras, também. Ainda em meses recentes, voltei a me deparar com ela (infelizmente, será demorado verificar em quais distros).

De volta às opções iniciais (Enter?), elas já estão em língua de gente, — Arrancar, Instalação, F2 → Língua etc.

Se você escolhe “Arrancar”, ainda passa por mais algumas escolhas, — Linguagem (de novo), Licença (Aceitar), Fuso horário, Usar hora local ou UTC, Servidor NTP para sincronização automática das horas (“Todos”, por padrão), Teclado (ABNT2), — antes de carregar a sessão Live USB. Não há motivo para isso provocar dúvidas cruéis no novato, pois em geral as opções já são oferecidas de acordo com a escolha inicial.

No mínimo, a hora correta aparece desde o primeiro print da tela de boas-vindas ao usuário Live USB.

Tela de boas-vindas ao usuário do Mageia 5 KDE em Live USB / DVD

Outra boa “volta aos tempos idos”, — do Kurumin, pelo menos, — é a oferta, bem visível, do velho e bom Centro de Controle, no Menu → Ferramentas → Ferramentas do sistema. E mesmo que você não lembre de procurá-lo, o Centro de Controle também está bem à vista, logo no início da barra inferior, ao lado de Configurações do sistema.

Centro de Controle no Mageia 5 KDE: configurações em abundância, reunidas e organizadas

No tempo do Kurumin, — ainda bem iniciante, — a dualidade Centro de controle X Configurações do sistema às vezes me confundia. Várias das primeiras anotações feitas na época, por exemplo eram justamente uns “passo-a-passo”, começando em um, ou no outro.

Configuração do acesso ao 3º nível do Teclado no Mageia 5 KDE

Das 22:40 às 23:00, foram feitas as configurações básicas (Teclado etc.), umas 20 fotos com o celular, e uns 20 prints.

Infelizmente, PrtScn chama o KSnapshot, sem direito a “Salvar e sair”, — muito menos, salvar automaticamente sem perder tempo perguntando.

O resto dessa 1ª sessão Live USB Mageia 5 KDE, das 23:00 à 0:20, foi usado para colocar em dia as demais atividades, — tudo suave e macio.

2ª sessão Live USB


No dia 1º Abr. 2016, das 9:08 às 9:25, foi iniciada a configuração do Dolphin, — mais uma vez, parando para fotos e prints, — que não caberia aqui (merece relato separado).

Dolphin (configurado): montar partição onde estão os wallpapers

Principais itens da personalização inicial do Dolphin:

  • Exibição em “Lista” detalhada
  • Coluna “Tipo
  • Ocultar “Locais” inúteis
  • Exibir “Pastas” em árvore
  • Painel “Informações” à direita

De volta ao computador, às 10:27 → Acesso ao 3º nível do Teclado.

10:36 a 10:59 → Criada uma segunda “Atividade” (Activity), — coisa feita antes apenas uma vez, no Kubuntu 14.04 (HD), — com um segundo Painel (à esquerda), para o qual foi baixado um novo widget (“Obter widget”), chamado “Barra de Atividades”, para transitar entre uma “Atividade” e outra.

Atividade fotográfica”, “Barra de Atividades” (à esquerda), Gimp e Digikam

Área de trabalho (“Desktop”)

  1. Dolphin
  2. LibreOffice
  3. Firefox (após 11:11)
  4. Monitor do sistema (após 11:49)
Atividade fotográfica
  1. Gimp
  2. Digikam
  3. Dolphin tornado visível em “Todas as Atividades”.


Trata-se de uma experiência, — “Atividades” só tem sentido num sistema instalado (HD), — feita aqui apenas para testar a estabilidade do Mageia 5 KDE numa longa sessão “Live USB”.

O painel à esquerda não impressiona, — principalmente com um widget que não foi feito para um painel vertical, — mas, ao longo de um dia, é bem mais prático do que as 3 “bolinhas coloridas” do painel inferior, para transitar de uma “Atividade” para outra.

A partir das 10:57, portanto, Gimp e Digikam permaneceram sempre abertos na “Atividade fotográfica”, — enquanto Dolphin e LibreOffice continuaram abertos na “Área de trabalho” (Desktop). — Mais tarde, o Dolphin foi destacado para ficar visível em ambas.

Das 11:11 às 11:14, foi aberto o Firefox, e feita a sincronização (Favoritos e complementos). Colocadas em dia outras tarefas, até 11:46.

Às 11:49, foi aberto o Monitor do sistema (KSysguard), que indicou o uso de 1,6 de 3,9 GiB da memória (imagem no início dessa postagem).

De volta ao computador, das 12:19 às 14:34, foram feitas algumas pesquisas no site Mageia; baixadas as fotos do celular (poucas com boa qualidade); e levantada a cronologia, — entre fotos cuja “hora” foi alterada no processo (os nomes só indicam a data + numeração sequencial), e snapshots cujo nome-de-arquivo não passa de uma sequência numérica, também sem indicação explícita de horário.

Essa tarefa de enfileirar, — cronologicamente, — imagens de diferentes fontes e com diferentes nomes-de-arquivo, seria mero passeio no Kubuntu (HD), usando o pyRenamer, que renomeia em massa numa fração de segundo, usando a hora Exif das fotos, e a hora de criação dos prints. Depois, é só reunir tudo na mesma pasta. Infelizmente, o RPMdrake não apontou nenhum programa à altura dessa tarefa. O jeito foi apenas marcar as imagens do início e do fim de cada tarefa, e anotar no LibreOffice um resumo das observações feitas no Gwenview.

Para agilizar, o Gwenview foi rapidamente configurado, — “Esc” para sair, F4 para exibir / ocultar a barra lateral (inútil também neste caso), Barra de ferramentas.

Às 14:39, — em rápida pausa para colocar as redes em dia, — o Monitor do sistema (KSysguard) indicou o uso de 2,0 de 3,9 GiB da memória, com 9 abas no Firefox, sendo 6 do Facebook. Foi o recorde de uso de memória, ao longo da sessão.

A indicação “Sem espaço de memória virtual disponível” sugere que o Mageia 5 KDE em Live USB não utiliza a partição swap do computador, — ao contrário do Fedora 24 alpha, que claramente detectou o swap de 8,3 GiB, embora sem usar mais do que alguns milésimos.

Rotacionando foto do Nokia Lumia no Gimp do Mageia 5 KDE, em sessão Live USB

Este relato foi publicado inicialmente às 15:58 de 1º Abr. 2016, com 1 imagem e 5 parágrafos; e desenvolvido até 2:20 de 2 Abr. 2016 (GMT-0300), no Mageia 5 KDE em sessão Live USB.

As 9 imagens foram editadas entre 15:10 de 1º Abr. 2016 e 1:59 de 2 Abr. 2016, no Gimp do Mageia 5 KDE em sessão Live USB.

— … ≠ • ≠ … —

Não-debians



Testes de trabalho em “Live USB”


Nenhum comentário:

Postar um comentário