segunda-feira, 4 de abril de 2016

Kubuntu 16.04 Xenial beta2 em Live USB

Kubuntu 16.04 Xenial beta2, Daily Build de 03-Apr-2016 05:52, após 25h44min em Live USB

A sessão Live USB deste segundo “teste de trabalho” com o Kubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus beta2 (ISO Daily Build 03-Apr-2016 05:52) começou às 19:50 do dia 3, e foi encerrada às 2:30 do dia 5, totalizando 30h40min, — evidentemente, com direito a um “repouso humano”, — o computador permaneceu ligado.

Houve outra sessão, antes, — uma “Falha prévia”, — que se degradou em menos de 2 horas, e cuja descrição vai no final deste relato.

3 Abr. 2016


A sessão teve início às 19:50, com o cuidado, — “supersticioso”, digamos assim, — de abrir o Discover (Muon) antes do Firefox.

Pelo Discover, foram instalados Synaptic, Gimp, Psensor.

Ainda por “superstição” (digamos assim), o Discover (Muon) não foi fechado de imediato, após indicar que a instalação dos novos pacotes estava concluída. Foi deixado aberto por mais meia hora, pelo menos, — e tampouco, nenhum dos novos pacotes foi aberto de imediato.

(Mesmo com todo esse cuidado, — “supersticioso”, digamos assim, — no dia seguinte ficou patente que o Discover não instalou o lm-sensors, necessário ao Psensor, e isso pareceu causar um mini-crash, adiante [PS.: No terceiro teste de trabalho do Kubuntu 16.4 Xenial beta, o Psensor funcionou sem lm-sensors, hddtemp ou fancontrol]).

Nessa noite, foram feitas as demais configurações básicas dos “testes de trabalho em Live USB”, — Fuso horário, Relógio, Papel de parede, Teclado, Dolphin, Gwenview, — mas não na mesma ordem de sempre.

O Firefox, por exemplo, só foi aberto por volta de 20:30, e não sincronizou, — a sincronização continuou apontando erro (senha conferida e reconferida no caderno), até a noite de Segunda-feira, mais de 24 horas depois, — mas rodou todos os vídeos testados no Facebook, desde o primeiro momento.

Único print da primeira noite da sessão Live USB Kubuntu 16.04 Xenial beta2

Configurar a Captura de tela (Spectacle) também deve ter ficado por último, lá pelas 20:49, — único print da noite, — abertos apenas Dolphin, Firefox, KInfocenter, System Monitor (KSysguard), e Akregator.

O restante da noite de Domingo foi dedicada a atividades pessoais, e alguma comunicação mais urgente, até cerca de 22:00.

Ao final, o computador permaneceu ligado, — mantendo a sessão Live USB, — e apenas o Akregator foi fechado, permanecendo abertos (minimizados) Dolphin, Firefox, KInfocenter e System Monitor (KSysguard).

Kubuntu Xenial às 9:02 do segundo dia da sessão Live USB, após mais 4 horas de trabalho

4 Abr. 2016


5:07 - Início do trabalho e demais atividades diárias, com abertura do LibreOffice.

Pouco antes das 8:34, foram abertos também o Gimp, e o Synaptic, — mas às 8:35 falharam 2 tentativas de abrir o Psensor: — erro do KDE Plasma.

Falha em abrir o Psensor, — às 8:35, — minutos antes de instalar lm-sensor etc. pelo Synaptic

Na segunda tentativa, bastou digitar “Psensor” no Menu, e — antes de levar o mouse até lá, — novo erro do KDE Plasma. Parece que adivinha.

O print das 8:35 não tem Painel (barra inferior), nem relógio, — a hora é dada pelo arquivo da imagem, — mas no print seguinte, das 8:36, verifica-se que o KInfocenter havia fechado inesperadamente (sumiu do Painel).

Permaneceram abertos Dolphin, Firefox, Gimp, System Monitor (KSysguard), LibreOffice e Synaptic.

A “lembrança” de abrir o Psensor, — justo naquele momento, — veio da constatação, no Synaptic, de que “lm-sensors” não estava instalado.

Antes de disparar o comando de instalação no Synaptic, — fonts-arkpandora, lm-sensors, fancontrol, hddtemp, — foi revisto o relato sobre sensores de temperatura, para verificar se havia mais alguma dependência.

Instalação de lm-sensors, hddtemp, fancontrol, fonts-arkpandora pelo Synaptic

Terminada  a instalação, às 9:00 o Menu (KDE) já aceitou abrir o Psensor, sem problema algum, — mas, em compensação, não aceitou reabrir o KInfocenter, — erro do KDE Plasma etc.

KInfocenter não abre, após KSysguard e Psensor, — mas abriu tempos depois

Abrir o KInfocenter não era essencial, naquele momento, uma vez que serviria apenas para printar os dados do Kubuntu 16.04 Xenial Xerus: — KDE Plasma 5.5.4, Qt 5.5.1, Kernel 4.4.0-16, — pois o uso da memória é acompanhada de modo mais claro no System Monitor (KSysguard), que permaneceu aberto.

(Mais tarde, o KInfocenter foi chamado outra vez, e funcionou sem problema, para o PrintScreen que abre este relato. Em seguida, foi fechado de novo, por desnecessário).

Fechar o Synaptic, com agradecimentos pelos trabalho realizado.

Ao restaurar o Firefox, ele já apareceu com as fontes corretas (Veranda em lugar de Verdana). — Idem, o LibreOffice.

Missão impossível?


Às 12:53, ocorreu um erro que precisa ser testado mais tarde, no Kubuntu (HD) e no Mint (HD), por se tratar de algo que ainda não havia tentado, — portanto, falta saber se é factível:

  1. Busca por arquivos cujo nome contenha “XXX”, numa “árvore” de 774 pastas e subpastas, com o total de 12.069 arquivos (978.8 MiB).
  2. Selecionar (Ctrl-A) todos os resultados encontrados, — 8 pastas e 319 arquivos (3,3 MiB).
  3. Clicar no conjunto com o botão direito, para abrir o “Menu de contexto”, e dentro dele escolher a opção “Comprimir”.

A ideia é guardá-los em outro lugar, — numa “árvore” separada, — para então eliminá-los da “árvore” original.

Ao clicar com o botão direito no conjunto selecionado, o “Menu de contexto” até abriu, — mas congelou. — Logo depois, o Dolphin fechou inesperadamente. (PrtScn não respondeu durante o congelamento).

Dolphin estreitado e sem a Barra de menus, — mas ainda configurado, — após o crash

Feitas as anotações, bastou chamar (12:56), para o Dolphin abrir novamente, com a mesma configuração feita desde a véspera, — apenas, com largura padrão, e sem a Barra de menu. — Bastou alargá-lo e mandar exibir outra vez a Barra de menu, e tudo voltou ao que era antes.

Nenhum outro programa fechou abruptamente, — e o PrtScn (Spectacle) voltou a funcionar após o “congelamento” do Dolphin.

Conclusão


Não houve mais nenhum crash, até o final da sessão Live USB  Kubuntu 16.04 Xenial beta2, às 2:30 de 5 Abr. 2016.

Às 17:11, foi concluído o levantamento cronológico e de referências, a partir das anotações e das Capturas de tela, com uso intensivo do Dolphin, Gwenview, LibreOffice, Firefox.

Às 19:02, o Gwenview deixou de obedecer ao “Esc” para fechar, e os botões Zoom 100% / Zoom fit desapareceram da Barra de ferramentas. Configurar novamente o atalho “Esc” para sair não demorou nem 1 minuto. Já os botões, não foram encontrados para adicionar de novo à Barra de ferramentas. A solução foi clicar em “Defaults”, para voltar ao padrão original, e refazer a configuração da Barra de ferramentas, “Esc” etc.

Às 21:09, o Firefox finalmente aceitou sincronizar, — o que facilitou também outras atividades, daí por diante.

A sessão Live USB prosseguiu até 2:30 de 5 Abr. 2016, totalizando 30h40min.

•• Falha prévia


A primeira tentativa desse “teste de trabalho” com o Kubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus beta2 (ISO Daily Build 03-Apr-2016 05:52) começou exatamente 2 horas antes, às 17:50 do dia 3, e foi encerrada após 1h30min.

Tudo normal na primeira 1h10min, — até abrir o Discover (Muon?) para instalar o Synaptic.

Após fechar o Discover, o Synaptic não abriu.

Aberto novamente o Discover, — para remover e reinstalar o Synaptic.

Novamente, o Synaptic não abriu.

Ao procurar o Discover pela terceira vez, ele não foi mais encontrado no Menu.

Sem Discover, nem Synaptic, — portanto, também sem o Gimp, — nada mais havia a fazer, exceto começar de novo.

Daí, o cuidado, na segunda tentativa, de abrir o Discover o quanto antes, — e aproveitar para instalar também o Gimp e o Psensor, pelo menos, — e deixá-lo aberto (minimizado) por mais algum tempo depois disso, — e não chamar de imediato nenhum dos programas acabados de instalar.

A hipótese era de que ”alguma coisa”, — sabe-se lá o quê, — pudesse ainda não estar 100% terminada, e ser interrompida por qualquer ação “prematura”.

Como, ao mover vários arquivos de uma pasta para outra, por exemplo, — que parece ser instantâneo, — e 5 minutos depois você recebe na tela uma notificação de que a tarefa (finalmente) foi concluída.

(É muito bom, o sistema e/ou um programa não ficar “travado”, te obrigando a uma longa espera, até o final de um processo mais demorado, — mas, como dizia o Ernesto, não custa nada deixar um recado na porta. Na dúvida, só restam ao “leigo”: dúvidas, hipóteses, fazer figa, e pé-de-coelho).

Felizmente, na segunda tentativa tudo deu certo, mas, — sem nenhuma certeza do “por quê deu certo”, — o terceiro teste de trabalho  no Kubuntu 16.04 Xenial beta2 em Live USB teria um foco especial no funcionamento do Discover.

Não que pretenda usá-lo em qualquer sistema instalado (HD), — mas nunca se sabe quantas ISO Live Linux ainda vão impor tal situação.

________
Este relato foi publicado inicialmente às 22:11 de 4 Abr. 2016, com apenas 1 imagem e 1 frase de abertura; e desenvolvido até 2:20 de 5 Abr. 2016, com 3 imagens, — sempre na sessão Live USB Kubuntu 16.04 Xenial beta2, iniciada às 19:50 de 3 Abr. 2016, — usando Dolphin, Gwenview, Firefox, LibreOffice, Gimp com fonts-arkpandora (Veranda).
• Reaberto em 8 Abr. 2016, das 14:00 às 17:00,  em sessão Live USB Debian 8.4.0 KDE + non-free, — para complementação do texto no Chromium, e acréscimo de 4 imagens editadas no Gimp com ttf-mscorefonts (Verdana: as letras parecem um pouco maiores, e são bem mais espaçadas; observar a palavra “Kubuntu” nas imagens).
•• Reaberto em 10 Abr. 2016, — na sessão do terceiro teste de trabalho em Live USB Kubuntu 16.04 Xenial beta2— para concluir com o relato resumido da “•• Falha prévia”.

— … • … —

Kubuntu



Testes de trabalho em “Live USB”


Nenhum comentário:

Postar um comentário