terça-feira, 26 de dezembro de 2017

PCLinuxOS - instalação direta (sem sessão Live)

Instalação sem sessão Live, diretamente do Menu de Boot do DVD do PCLinuxOS

A 2ª instalação do PCLinuxOS foi feita em 22 minutos (9:23 ~ 9:45), a partir do Menu de Boot do DVD, — sem carregar sessão Live.

13 Dez. 2017 - () - A 1ª instalação foi apagada pela 2ª.

15 Dez. 2017 - () - Instalação direta (sem sessão Live). — O pacote de “Localização” foi instalado logo nos primeiros dias. — Tem 2 usuários: (a) um, com os principais aplicativos traduzidos em Português; (b) outro usuário, com todos os aplicativos em Inglês.

19 Dez. 2017 - () - Instalação a partir de sessão Live. — As configurações de “Localização” estão sendo aplicadas por partes: (1) primeiro, por meras opções no KDE System settings; (2) em seguida, pela reinstalação do LibreOffice com sua tradução; (3) mais adiante, será instalado o pacote de “Localização” do sistema. — O objetivo é documentar o efeito de cada um desses 3 passos.

A 2ª e 3ª instalação continuam existindo lado a lado.

Foi adotado particionamento manual, — apenas escolher a partição-raiz (formatar) e a /home (não formatar), — portanto, não sei quanto tempo levaria a instalação com alguma das opções de particionamento automático.

Foram respondidas poucas questões, — (a) layout de Teclado; (b) particionamento; (c) remover suporte a hardware inexistente no computador; (d) opções de Bootloader, — com pausas para fotografar cada passo.

Ao carregar pela primeira vez (depois de instalado), são feitas mais algumas perguntas sobre a configuração, — (e) Fuso horário; (f) Relógio do sistema; (g) senha do Administrador; (h) Nome, ID e senha do Usuário, — antes de chegar ao Login.

09:23 - Boot Menu → Install
09:27 - Keyboard layout
09:28 - Installation Wizard
09:29 - Custom disk partitioning
09:30 - Expert mode
09:30 - Root partition
09:31 - Home partition
09:32 - Chose partitions you want to format
09:32 - Warning - Partitions will be formated
09:33 - Remove unused hardware support - Yes
09:33 - Installing PCLinuxOS - Slideshow (9 min)
09:42 - Bootloader - Grub / Lilo options
09:43 - Grub options - Ok
09:44 - Boot Menu entries
09:45 - Installed - Restart

09:46 - Remove Live DVD
09:47 - BIOS Setup - Boot from sdd
09:49 - Grub Boot Menu
09:51 - Timezone
09:52 - Hardware clock: UTC - Synchronize NTP servers
09:53 - Root Password
09:54 - User Name, ID, Password
09:54 - Login

Roteiro


Ao carregar o Instalador, se oferece a escolha do layout de Teclado

09:23 - Na imagem ISO baixada diretamente do site “oficial”, a tecla F2 (Language) do Menu de Boot não oferece qualquer opção, — existe apenas “English (US)”.

09:27 - Ao carregar o Instalador, finalmente se oferecem as opções de Teclado. — Teclar “b” para encontrar Brasil (ABNT2), — “p” para layouts de teclado para Portugal e outros países, — e assim por diante.

09:28 - A tela “Installation Wizard” serve apenas para clicar Next (ou Cancel), — mas a opção Cancelar continuará disponível, mesmo depois de formatar partições, iniciar a instalação etc.

Opções de particionamento para instalar o PCLinuxOS

09:29 - São oferecidas as opções de: (a) Usar partições existentes; (b) Apagar e usar o disco inteiro; (c) Particionamento personalizado.

Provavelmente, bastaria escolher a opção “a”, — uma vez que as partições já existiam, — mas para não perder tempo, escolhi a opção (c) Custom disk partitioning.

Seleção das partições Raiz e Home do PCLinuxOS

Pela experiência da 1ª instalação, já sabia que era inútil me preocupar com partições Swap, — não encontrei nenhum modo de selecionar uma, ou evitar as outras. — O instalador simplesmente coloca no arquivo /etc/fstab todas as partições Swap encontradas. Resta editar o arquivo, mais tarde, deixando apenas uma.

Portanto, os passos a seguir eram muito simples:

  • Selecionar sdd
  • Selecionar Expert mode
  • Selecionar sdd2
  • Clicar no botão Mount point — selecionar / no diálogo secundário - Ok
  • Selecionar sdd6
  • Clicar no botão Mount point — selecionar /home no diálogo secundário - Ok
  • Clicar no botão Done do diálogo principal

Seleção do ponto de montagem da /home do PCLinuxOS

Infelizmente, não fotografei o diálogo secundário — restam apenas Capturas de tela da antevéspera (em sessão Live). — Lembrar que, fora da sessão Live, não é possível arrastar ou redimensionar o diálogo secundário, que fica na frente do diálogo principal.

09:30 - Expert mode
09:30 - Root partition
09:31 - Home partition

Seleção das partições a formatar e opção de verificar Badblocks

Concluída a seleção das partições e clicado o botão “Done”, apresenta-se o diálogo para escolher quais partições devem ser formatadas. — A partição-raiz já vem marcada.

Na opção “Advanced”, você pode marcar a verificação de Badblocks nas partições que serão formatadas.

No detalhe da montagem (acima), foi colado um exemplo capturado na antevéspera. — Fora da sessão Live, o diálogo secundário fica na frente do diálogo principal.

Ao clicar em Next, o espaço é calculado, — e se apresenta um aviso vermelho-espalhafatoso de que isso destruirá os dados da partição formatada. — Next ou Cancel.

09:32 - Chose partitions you want to format
09:32 - Warning - Partitions will be formated

Remoção de software desnecessário à instalação do PCLinuxOS

Nesse ponto, o instalador oferece a opção de remover pacotes desnecessários, — suporte a hardware não encontrado no computador.

Segue-se o “slideshow”, — na verdade, uma imagem estática (não consome recursos), — enquanto o sistema é instalado no computador (9 minutos).

09:33 - Remove unused hardware support - Yes
09:33 - Installing PCLinuxOS - Slideshow (9 min)

O único modo de conseguir concluir a instalação foi escolher Grub “1” com menu em modo texto

Dois dias antes, a 1ª instalação foi tentada por mais de 8 horas (14:00 ~ 22:30), até ficar claro que a opção de Grub2 com menu em modo gráfico não me permitiria concluir com sucesso, — com ou sem sessão Live.

Em sessão Live, tentar Grub2 com menu gráfico demorou 12 minutos e resultou em crash do Instalador (2 vezes), — deixando um surto de uso intenso de CPU. — Foi necessário novo Boot pelo DVD.

Sem sessão Live, o Instalador não dava crash, — sempre voltava às alternativas de Bootloader, e eu podia tentar de novo, com outras opções. — Desse modo, explorei as alternativas e descobri que, no meu hardware (não falo pelos outros), só conseguia concluir a instalação se optasse por Grub “1” com menu em modo texto.

Por isso, estas foram as opções usadas na 2ª instalação, — e foi possível concluí-la em 22 minutos, — sem qualquer problema.

Grub “1” apresentou apenas 3 entradas, — referentes ao próprio PCLinuxOS

A “chamada” do Grub foi gravada na MBR do SSD externo (sdd), — para preservar o Grub do Mageia (sda), e do openSUSE Leap (sdb).

09:42 - Bootloader - Grub / Lilo options
09:43 - Grub options - Ok
09:44 - Boot Menu entries
09:45 - Installed - Restart

09:46 - Remove Live DVD and press Enter

Alteração no BIOS Setup para Boot a partir da MBR do SSD externo

09:47 - Para Boot a partir do Grub do próprio PCLinuxOS, bastou apertar DEL logo no início, entrar nas configurações da BIOS (BIOS Setup), colocar o SSD externo (sdd) como primeiro HDD e apertar F10 para salvar e reiniciar o Boot.

Grub “1” com Menu em modo texto

09:49 - No Menu de inicialização (Boot Menu) gerado pelo PCLinuxOS, teclei “e”, — como se fosse editar os comandos. — Na verdade, só queria fotografá-los.

No caso do Grub antigo (“1”), os comandos do Menu de inicialização podem ser encontrados — e editados — no arquivo /boot/grub/menu.lst

Primeiro Boot (configurações)


Configuração do fuso horário no primeiro Boot do PCLinuxOS instalado

Algumas configurações finais são feitas durante o primeiro Boot do PCLinuxOS instalado, — antes de chegar ao primeiro Login.

09:51 - Configuração do Fuso horário (Timezone).

Relógio do sistema ajustado para hora universal (UTC); e sincronizado com servidores NTP

09:52 - A pergunta “What is the best time” é um tanto equívoca. — “Para os fortes, não existe tempo ruim”, diz o dito popular.

A questão, aqui, é se você deseja usar no sistema (Hardware clock) a chamada “hora universal” (UTC), — que Unix / Linux traduz para usuários de cada região, — ou se prefere que o sistema use a hora local.

Usar hora local no sistema pode ser cômodo para quem também tem Windows no computador (dualboot), — e não quer esquentar a cabeça com isso, — mas acabará tendo de estudar o assunto, quando surgirem problemas.

Como não tenho mais Windows, sempre opto por seguir o padrão Unix / Linux, — usar hora UTC no sistema, — e apenas traduzir para o usuário.

De quebra, marquei a opção de manter a hora sincronizada, automaticamente, com todos os servidores (NTP servers).

09:53 - Definir a senha de Administrador (Root Password).
09:54 - Definir o nome completo do usuário, apelido e senha (User Name, ID, Password).
09:54 - Tela de Login.

— … ≠ • ≠ … —

Não-debians


Nenhum comentário:

Postar um comentário