domingo, 14 de setembro de 2014

Instalação do Kubuntu 14.04 Desktop amd64 (LTS)

Tela de entrada do Live DVD do Kubuntu 14.04 Desktop amd64 (LTS). Foto digital às 16:23.

Este é um registro completo da instalação do Kubuntu 14.04 Desktop amd64 (LTS), desde a tela inicial do Live DVD, até a instalação (posterior) de alguns programas adicionais que preciso ter sempre à mão.

A instalação do Kubuntu, propriamente, — usando conexão de 1 Mega (128 kbps), — levou cerca de 2 horas, das 16:23 até as 18:14, com muitas pausas para fazer registros escritos (no LibreOffice e no caderno), tirar fotos, conferir se os prints de tela tinham sido feitos corretamente, consultar os registros de instalações anteriores, lavar as panelas, fazer um feijão, pendurar a roupa no varal etc., além de vadiar no Facebook, afinal ninguém é de ferro.

Outras 3 horas foram utilizadas para atualizar tudo, e baixar e instalar uns 20 programas adicionais, das 18:30 às 21:30.

Obs.: - Esses tempos e horários referem-se a uma conexão de "1 mega", que na prática dificilmente ultrapassa cerca de 128 kB/s.

16:23 - Tela de entrada do Live DVD (acima), com algumas opções básicas: (a) Linguagem; (b) Testar ou instalar; (c) Sair. — Escolhi Português (Brasil) e cliquei em Try (Experimentar), para rodar o novo sistema a partir do DVD. Desse modo, poderia navegar na web, registrar prints de tela, fazer anotações no LibreOffice etc., durante a instalação.

Tela inicial do Kubuntu 14.04 Desktop amd64 (LTS). Printscreen às 16:43, ainda com horário de Greenwich.

16:43 - A tela inicial do Kubuntu, uma vez carregado a partir do Live DVD, apresenta em destaque o ícone de instalação. Você usa o sistema à vontade, e só inicia a instalação quando quiser, e se quiser. — Note que, a essa altura, já há 3 janelas na barra inferior: o KsnapShot, a pasta dos prints (salvos no Pendrive), e o Gwenview (para visualizar os prints).

Ajuste do fuso horário: São Paulo. Printscreen às 16:52


16:52 - Como Belém (PA), Araguaína (TO) e as capitais do Nordeste têm (ou podem ter) diferenças de Brasília quanto ao horário de verão, a escolha tem de ser pelo fuso horário de São Paulo. Clique em Apply, para Aplicar a mudança. — Note que já existem mais duas janelas indicadas na barra de tarefas: o Firefox, para navegar; e o LibreOffice Writer, para anotações. Ambos já vêm pré-instalados no Live DVD. — Verifiquei, então, que o LibreOffice Writer continuava inserindo a hora de Londres (Inserir >> Campo). Foi necessário fechá-lo e abri-lo novamente, para ele se ajustar ao novo fuso horário do sistema.

Iniciada a instalação: idioma e Notas de versão. Printscreen às 17:02

17:02 - Clicado no Install para iniciar a instalação do Kubuntu 14.04 Descktop amd64 (LTS) no computador, abre-se o diálogo e roteiro dos passos em sequência. O primeiro passo é escolher o Idioma. O diálogo adivinha que vou querer Português do Brasil, — o mesmo escolhido antes. Também existe a opção de ler as Notas de versão.

Programas de terceiros (Flash) e atualizações durante a instalação. Printscreen às 17:03


17:03 - Pergunta se deseja instalar programas de terceiros para reproduzir Flash, MP3 etc.; e se deseja baixar atualizações enquanto instala. Tratei de marcar ambas as opções, e cliquei em Continuar.

Pergunta se deseja “desmontar partições da unidade de disco sdc” (Pendrive). Não. Screenshot às 17:04


17:04 - O instalador detecta que uma partição de um “disco” está “montada”, e pergunta se deseja “desmontá-la”. Isto seria necessário, caso precisasse criar, apagar ou redimensionar partições nesse “disco”, para instalar o Kubuntu.

O disco “sdc”, no caso, é um Pendrive. Não é nele que vou instalar o Kubuntu, por isso, não preciso alterar nenhuma partição dentro dele. Está “montado” (em uso) apenas para salvar screenshots e anotações, durante a instalação.

Portanto, a resposta é Não.

O instalador detecta as partições existentes e propõe redimensioná-las, para criar outra(s). Screenshot às 17:09.

17:09 - Chegamos ao disco “sdb”, onde já existem 5 partições, e o instalador faz uma proposta de “ajeitá-las”, para abrir espaço e criar mais uma partição.

Na barra colorida de cima, mostra as partições existentes:
  • Azul (à esquerda) - É a partição onde está o antigo Kubuntu.
  • Verde (pequeno) - É a partição de memória swap.
  • Tijolo - É a partição onde está o Linux Mint.
  • Rosa - É a partição para documentos do Linux Mint.
  • Azul (grande) - É a partição para documentos do antigo Kubuntu.
Na segunda barra colorida, está a proposta que o instalador me apresenta, de reduzir as duas partições de documentos, para abrir espaço no HD.

Esta seria a instalação “Guiada”.

Há mais 3 opções, caso prefira uma instalação “Assistida”, utilizando o disco inteiro.

17:10 - Por fim, existe a opção da instalação “Manual” —  onde você decide quais partições quer usar, —  apagando, criando ou redimensionando-as, você mesmo, do jeito que você quiser. — Ou, deixando-as como estão.

É a que prefiro, pois já planejei há vários anos, e basta repetir sempre os mesmos passos.

Escolha da opção “Manual”, para lidar com partições. PrintScreen às 17:10.

Para ter sempre 2 sistemas Linux, criei 5 partições no HD:

As 5 partições, num desenho bem simples: o Swap é um só, para os dois sistemas Linux.

Norte que basta 1 partição para a memória Swap, — pois o computador só pode rodar 1 sistema de cada vez, e quando saímos dele, a memória Swap é esvaziada.

Não há o que pensar: — Quero instalar o novo Kubuntu no lugar do antigo Kubuntu, — sem mexer na partição de Documentos (onde também ficam as configurações personalizadas).

Partições detectadas pelo instalador nos HDs nº 1 (sda), nº 2 (sdb) e Pendrive (sdc). PrintScreen às 17:20.

No print (acima), ignore as partições do outro HD (sda) e do Pendrive (sdc). — Vou instalar o novo sistema Kubuntu em sdb1, usar o Swap já existente na partição sdb6, e configurá-lo para usar a partição sdb5 para documentos.

Importante: — Note o Boot loader marcado para sda. — O Windows gosta de ficar no 1º HD do sistema. — E é nas trilhas iniciais do 1º HD que ficam os registros do dual-boot, para você escolher qual sistema deseja rodar, quando inicializa o computador.

Escolhendo a partição “raiz” (“/”), onde será instalado o sistema. PrintScreen às 14:23.
17:23 - Escolhida a partição “sdb1”, clique em Alterar. — O tamanho continua o mesmo de antes. — Escolhi o sistema de arquivos “ext4” (já tinha esse formato). — Marquei para formatar (Não precisava, é só excesso de precaução). — Selecionei o “ponto de montagem” (“Mount point”) representado por uma barra solitária (“/”), que indica a “raiz” do sistema (“root”). Ok.

Partição de memória Swap. Screenshot às 17:24.

17:24 - Escolha da partição de memória Swap. Selecione e clique em Alterar. Não há muito o que escolher: —  Mesmo tamanho anterior, Área de troca (swap). Não precisava formatar. Nem oferece opção de “Ponto de montagem” (a menos que escolha outro formato). Na verdade, acho que nada disso era necessário, pois o instalador reconhece o Swap e configura automaticamente. Fica para ilustrar.

Escolha da partição de Documentos (“/home”). Print às 17:25.

17:25 - A partição “/home” — onde ficam os Documentos e configurações personalizadas, — exige 2 cuidados:

Não marque para formatar, — caso contrário, perderá seus Documentos, bem como as configurações personalizadas.

Não mude o formato. — Estava com formato “ext4”, então deve permanecer com o formato “ext4”. Senão, sofrerá formatação, apagando tudo.

Também não recomendo alterar o tamanho. O programa é inteligente, mas pode haver perda de dados.

Portanto, os passos são: — Selecionar (sdb5). — Clicar em Alterar. —  Manter o tamanho anterior. — Escolher o mesmo formato anterior (ext4). — Não marcar para formatar. — Escolher o ponto de montagem “/home”. — Conferir com calma. — Ok.

Conferir com toda atenção as alterações nas partições: não haverá retorno. Print às 17:26.

17:26 - Hora de conferir atentamente as alterações que serão aplicadas nas partições: — Apenas sdb1 está marcado para formatar. — A partição /home (Documentos) não está marcada para formatar, mantém o mesmo tamanho e o mesmo formato anterior. — O carregador de inicialização (dual-boot) será gravado nas primeiras trilhas do HD nº 1 (sda).

Na dúvida, clique Undo all changes. — Caso contrário, Instalar agora.

Ao iniciar a instalação efetiva do Kubuntu, pede o fuso horário e o país, para adotar as convenções. Print: 17:26.

17:26 - Ao clicar em Instalar agora, imediatamente o instalador do Kubuntu entra no diálogo de fuso horário. Ele lembra que escolhi Brasil e São Paulo, mas dá outra chance de opção.

Lembre que o horário da Argentina ou da Groenlândia pode até ser igual, — mas o padrão monetário não é.

Configuração do teclado. Print às 17:32.

17:32 - Cliquei em Continuar, mas levou mais de 5 minutos para chegar ao Teclado. — O instalador já está aplicando formatações no HD, ou baixando arquivos, ou fazendo qualquer outra coisa, furiosamente.

A escolha óbvia é Português (Brasil), variante Português (Brasil).

Informações pessoais, senha e entrada. Print às 17:35.

17:35 -Diálogo de Informações pessoais: — Nome completo, nome de usuário, senha, nome do computador.

Existe a opção de Iniciar sessão automaticamente, — sem pedir senha, — porém qualquer ação que afete o sistema, — como instalar ou remover programas, — sempre irá pedir a senha.

Instalação completa às 18:14. Reiniciar e retirar o DVD ao ser ejetada a bandeja.

18:14 - Instalação completa. — Pode clicar em Reiniciar agora, ou continuar usando o Live DVD. — Ao reiniciar, retire o DVD da bandeja para carregar o sistema já instalado no HD.

Me distraí por 1 minuto, e não vi se passou pelo menu grub, — ou se entrou direto no Kubuntu acabado de instalar, sem oferecer as outras opções de boot (Linux Mint e Windows).

Kubuntu 14.04 instalado: — Já entrou com o wallpaper anterior. — Note os ícones desativados na barra de tarefas.

18:20 - O Kubuntu já reentrou com o mesmo papel de parede que existia antes, — porém três ícones desativados na barra de tarefas: — Chromium, Stellarium e Gimp, que ainda não instalei de novo.

Também no Menu existem programas desativados, até serem reinstalados.

O Firefox também já abriu configurado, com todos os antigos Favoritos, plugins etc., e logado para sincronizar. Gmail e Facebook já entraram logados, Shareaholic já entrou logado e funcionando para compartilhar em meu nome no Facebook.

Exceto pelos programas que ainda precisam ser reinstalados, tudo mais é como estava no início da tarde, antes de reinstalar o Kubuntu — mudando de i386 para amd64.

Usando o Descobridor do Muon, para instalar o Gerenciador de pacotes Muon. Print: 18:57.

18:57 - Utilizando o Descobridor do Muon, procurei instalar imediatamente o Gerenciador de pacotes Muon, que é mais parecido com o Synaptic.

Atualização geral, pelo Gerenciador do Muon, das 19:01 às 19:49.

19:01 - Apesar de ter marcado para baixar atualizações durante a instalação, isto não significava o que imaginei: — Após recarregar a lista de softwares, o Muon indica que há 249 atualizações a serem feitas.

Essa atualização geral, — envolvendo download de 187 MiB, — estendeu-se até 19:49, em conexão de 1 Mega (128 kbps).

Instalação manual do Grub-Customizer, às 19:52.

19:52 - Baixar e instalar o grub-customizar é um pouco diferente do processo normal, automático: — Como ele não faz parte dos repositórios de software do Kubuntu, é preciso, — primeiro, — configurar o repositório onde ele se encontra:

 Para adicionar seu repositório à lista dos repositórios onde o Kubuntu deve procurar softwares e atualizações, basta abrir o Terminal, colar esse comando e teclar Enter:
sudo add-apt-repository ppa:danielrichter2007/grub-customizer
e fornecer a senha de Administrador, ao pedido do “sudo”.

Fique atento ao momento em que ele para e pede para clicar Enter, — senão, não rola.

Em seguida, reabri o Gerenciador do Muon, atualizei as listas de softwares, procurei o grub-customizer... e não encontrei.

Voltei à fonte da informação, e fiz o procedimento seguinte, que não tinha registrado antes: -- Abrir o Terminal e inserir esses 2 comandos, um após outro, fornecendo a senha quando solicitado:
sudo apt-get update

sudo apt-get install grub-customizer

19:59 - Ao final dessa instalação, recebi aviso de que precisaria reiniciar o computador, para que as alterações fizessem efeito.

Tela do Grub ao reiniciar o computador às 20:00, antes de editá-lo com o grub-customizer.

20:00 - A foto (acima) mostra o estado do Grub após a reinstalação do Kubuntu, porém antes de poder abrir o grub-customizer para editá-lo: — Duas opções de (k)Ubuntu no topo, em seguida 2 opções de Memory test, 1 opção do Windows e por fim 2 opções do Linux Mint.

Utilizando o grub-customizer para personalizar o menu do dual-boot, às 20:08.

20:08 - Com o grub-customizer, tratei de selecionar e empurrar para baixo as 2 opções de Memory test, raramente utilizado.

20:26 a 20:54 – Verifiquei no caderno de informática os programas que tenho adicionado ao (k)Ubuntu, ao Debian, ao Linux Mint etc.

No gerenciador de pacotes do Muon, marquei e mandei instalar estes:
  • unison-gtk - backup (sincronização)
  • gimp - editor de imagens equivalente ao Photoshop
  • sane, xsane - scanner
  • stellarium - astronomia
  • konqueror, krusader - gerenciadores de arquivos, navegadores
  • inkscape - desenho vetorial, similar ao CorelDraw
  • librecad - tipo AutoCAD, em 2D
  • pdfcrack, pdftk - utilitários para lidar com arquivos em PDF
  • scribus, scribus-template - editor de jornal, livro, revista
  • filezilla - upload
  • kstars - astronomia
21:15 - Instalado o Chromium, que já entrou logado na sincronização, configurado e personalizado, com todos os plugins, Favoritos etc., e pedindo a senha-mestra para logar automaticamente em tudo mais.

21:30 - Utilizei o Gerenciador de pacotes Muon para instalar o Gerenciador de pacotes Synaptic. Não tinha esperanças de que funcionasse... mas o Synaptic funcionou, e muito bem.

— … • … —

Kubuntu



Testes de trabalho em “Live USB”


sábado, 6 de setembro de 2014

Configurando o teclado no Kubuntu 14.04

Levantamento dos principais caracteres obtidos: normal + Shift, Alt, Shift-Alt

Partindo do layout “Português (Brasil)”, ainda é necessária uma configuração adicional para ter acesso ao “terceiro nível” das teclas.

Em “Configurações do sistema”, ou “System settings”, clique em “Dispositivos de entrada”

O caminho é: Menu >> Configurações >> Configurações do sistema >> Dispositivos de entrada.

Configurações básicas do teclado no Kubuntu 14.04

Marque a caixa “Configurar layouts”, para habilitar a opção de configurações adicionais.

Aparece então, no campo inferior, o nome do layout que já estava em uso há tempos. ─ Clique em “Aplicar”, para fazer efeito.

Na aba “Avançado”, marque a caixa “Configurar as opções do teclado”

Na aba “Avançado”, marque a caixa “Configurar as opções de teclado”, para habilitar opções adicionais. ─ Aplicar.

Opções de acesso ao “terceiro nível” do teclado

Abra a opção “Tecla para escolher terceiro nível”.

Desde ontem, adotei o “Alt” do lado esquerdo, que também será aplicado no Linux Mint, para padronizar. ─ Aplicar.

Atualização (22 Jan. 2016): - Alterei a tecla de acesso 3º nível para “Win Esquerdo”; e reabilitei “Alt-Tab” para alternar entre janelas.

— … • … —

Kubuntu



Testes de trabalho em “Live USB”